Engel & Völkers MMC Lisboa > Blog > Notícias do Setor Imobiliário

Notícias do Setor Imobiliário

 Lisboa
- tendencias inmobiliarias.png
 Lisboa
- 26-2MAIO.jpg
 Lisboa
- 19-25ABRIL.jpg

Braga acolhe primeira agência da Engel & Völkers no Minho

A multinacional alemã Engel & Völkers, especializada na mediação de imóveis de luxo, anuncia a abertura uma nova agência em Braga. Esta será a primeira agência da imobiliária na região do Minho.

Susana e Christopher Diener são os responsáveis pela E&V de Braga e têm como objectivo explorar o potencial imobiliário do distrito minhoto.

Quartos para arrendar: oferta dispara 89% durante a pandemia

A oferta de quartos para arrendar em casa partilhada disparou 89% em março de 2021 face ao mesmo mês do ano passado, um período marcado pela pandemia da Covid-19, segundo um estudo publicado pelo idealista, o marketplace imobiliário de Portugal.

“A compra de casa com valores acima de um milhão de euros é um mercado que tem crescido junto dos portugueses”

O mercado residencial para a classe média alta e alta tem-se mostrado resiliente perante a pandemia

Arrendar casa? Continua a ser um negócio rentável em 2021

Se tem uma casa vazia, que só gera despesas e, além disso, corre o risco de ser ocupada, a alternativa mais viável à rentabilidade de um imóvel quando não se quer vender, é arrendá-lo, afirma a imobiliária Engel & Völkers. Mesmo agora, com a pandemia, continua a haver uma elevada procura.

 Lisboa
- 12-18 ABRIL.jpg

Qual o esforço a fazer para pagar a renda da casa em Portugal?

A taxa de esforço das famílias para o pagamento da renda de uma casa em Portugal pode ir até aos 41%, segundo um estudo publicado pelo idealista, que cruzou os preços de arrendamento de março de 2021, com a estimativa de rendimentos líquidos familiares nesse mesmo período de tempo. Em 8 cidades portuguesas é superada a taxa de esforço recomendada, de um terço dos rendimentos para pagar a renda.


Vistos gold: investimento cresce 4,5% para 125 milhões no primeiro trimestre

O investimento captado através dos vistos gold cresceu 4,5% no primeiro trimestre, face a igual período de 2020, para 125 milhões de euros, de acordo com contas feitas pela Lusa com base nas estatísticas do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). No primeiro trimestre do ano passado, o investimento resultante do programa de Autorização de Residência para Investimento (ARI) totalizou 119,6 milhões de euros.


Emigrantes à procura de casa em Portugal: Lisboa e Porto são as cidades mais atrativas

Os emigrantes portugueses que procuram casa no nosso país têm, na sua maioria, preferência pelas grandes cidades, segundo um estudo realizado pelo idealista, que analisou as pesquisas efetuadas em português com origem em países de língua não portuguesa. O distrito de Lisboa concentra 23,6% das pesquisas dos portugueses no estrangeiro, seguido pelos distritos do Porto (16,2%), Faro (9,3%), Setúbal (9,2%), Braga (8,8%) e Aveiro (5,6%). Seguem-se Leiria (4,2%), Santarém (3,5%), Viseu (3,2%), Coimbra (3,1%), Viana do Castelo (2,3%) e Ilha da Madeira (2,2%).

As cidades portuguesas com mais qualidade de vida em tempos de Covid-19

A pandemia veio gerar novas necessidades de espaço e há quem pense em mudar de casa, e até mesmo de localidade. A qualidade de vida é algo que pesa na decisão sobre o sítio que se escolhe para morar, e para formar opinião nada como ouvir quem lá vive. Os habitantes de Viseu, Leiria e Braga são os que se encontram, em geral, mais satisfeitos com o local onde vivem. Já quem está em Évora, Lisboa, Porto e Setúbal encontra mais razões que desagradam nos respetivos centros urbanos, segundo um estudo realizado pela Deco Proteste, que analisou a qualidade de vida em 12 cidades portuguesas em plena pandemia.

 Lisboa
- 5-11ABRIL.jpg

Teletrabalho: elemento-chave na compra de casas de luxo

Os portugueses estão mais exigentes na escolha de casas para comprar. As condições oferecidas pelos imóveis para o teletrabalho, vieram mudar a preferência dos cidadãos na hora da compra de uma casa.


Arrendar casa na pandemia: preços descem 5,1% num ano

Os preços das casas para arrendar em Portugal desceram 5,1% num ano, em março de 2021 face ao mesmo mês do ano passado, um período marcado pela chegada da pandemia da Covid-19 ao país.


Como serão as cidades no pós-pandemia? Cinco fenómenos a ter em conta

Como serão as cidades no pós-pandemia Covid-19? O que mudará no funcionamento e no ‘modus operandi’ das metrópoles com a aprendizagem adquirida no último ano, marcado por períodos de confinamento, teletrabalho, ensino à distância ? 


Agência algarvia Crochet assina imagem do MotoGP

O Grande Prémio de Portugal de MotoGP, marcado para entre os próximos dias 16 e 18, no Autódromo Internacional do Algarve, conta com design assinado por uma agência da região onde se irá realizar. Coube à Crochet, com sede em Portimão, o desafio de desenvolver a imagem da prova de motociclismo que regressa a Portugal pelo segundo ano consecutivo.

 Lisboa
- 2 agosto.jpg

Já há imobiliárias a nascer apenas na vertente digital

A compra de uma casa parece indissociável de uma visita presencial. É comum o potencial comprador querer ver in loco o espaço, a luz, o estado do imóvel, sentir que pode, e gostaria, de habitar entre aquelas quatro paredes. Mas mesmo que essa realidade pareça indiscutível, a tecnologia veio revolucionar o negócio imobiliário e a pandemia só acelerou um motor que alguns visionários puseram em marcha há mais de uma década.

Arrendamento acessível: PRR vai criar oferta pública para 6.800 famílias

A construção de um parque público de habitação para arrendamento a custos acessíveis, prevista pelo Governo no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), deverá beneficiar 6.800 famílias.

As novas casas de sonho em Portugal

Espaçosas, com áreas verdes e condições para teletrabalho: estas são as novas casas de sonho em Portugal, de acordo com a mediadora de origem alemã de imóveis de luxo, Engel & Völkers (E&V).

As melhores cidades do mundo para criar uma família são… (Lisboa está em segundo lugar)

Lisboa é a segunda melhor cidade do mundo para criar uma família, sendo apenas destronada pela capital da Islândia, Reiquejavique. Wellington, na Nova Zelândia, completa o pódio. Em causa está um estudo realizado pela seguradora britânica CIA Landlord.

 Lisboa
- março22.jpg

Juros no crédito habitação descem há seis meses e atingem novo mínimo histórico em fevereiro

A taxa de juro implícita dos contratos de crédito à habitação caiu em fevereiro pelo sexto mês consecutivo – está em queda desde setembro de 2020 –, atingindo o novo mínimo histórico de 0,853%, menos que em janeiro (0,873%) e que no mesmo mês do ano passado (0,997%). Em causa estão dados divulgados recentemente pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Estrangeiros continuam a comprar imobiliário no Algarve só com visitas virtuais

Os investidores imobiliários internacionais, em particular, estão a acelerar o processo de aquisição de propriedades, recorrendo às novas tecnologias. Os estrangeiros que investem na região do Algarve têm fechado negócios em metade do tempo em relação ao período pré-pandemia, concretizando a operação com recurso apenas a visitas virtuais, revela a Engel & Völkers, imobiliária alemã especializada na mediação de propriedades de luxo

Que poupanças é preciso ter para comprar uma casa em Portugal? 

Mesmo em tempos de pandemia, muitos portugueses querem comprar casa e, para isso, precisam de um crédito à habitação. E se os bancos, apesar da crise gerada pela Covid-19, têm-se mantido disponíveis para emprestar dinheiro para esta finalidade, ao contrário de outros tempos, já não dão financiamentos a 100%.

Preços das casas continuam a subir na pandemia - tanto nas novas como nas usadas

“Em 2020, apesar do contexto desfavorável decorrente das restrições impostas no âmbito da pandemia da Covid-19, continuou a observar-se uma dinâmica de crescimento dos preços das habitações transacionadas”

Estrangeiros aceleram os seus investimentos no Algarve

O sector imobiliário começa a recuperar no Algarve, um ano após o início da pandemia, e os investidores estrangeiros aceleram a aquisição de ativos, recorrendo a novas tecnologias.

Escassez de oferta para a classe média ajuda a explicar subida dos preços das casas na pandemia

Foram vendidas no ano passado 171.800 casas, menos 5,3% que no ano anterior,sendo este o primeiro recuo no número de transações desde 2012. Uma quebra que se deve à pandemia da Covid-19, isto apesar do valor dos negócios ter atingido os 26,2 mil milhões de euros, o que representa uma subida homóloga de 2,4%, que pode ser justificada com o facto do preço das casas continuar a aumentar.


Tendências de design e decoração de interiores para a primavera/verão de 2021

Com o confinamento obrigatório em todo o país, a procura pelo conforto, pelo aconchego em casa e a valorização da natureza tornou-se algo essencial para todos.

Quase 50 mil casas vendidas no final de 2020 - um record trimestral histórico em plena pandemia

Nunca se venderam tantas casas em Portugal num trimestre como no último de 2020, ou seja, em plena pandemia da Covid-19. Foram, ao todo, 49.734 alojamentos(42.372 existentes e 7.362 novos), mais que no trimestre anterior (45.136) e no homólogo (49.232), segundo dados divulgados esta terça-feira (23 de março de 2021) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

 Lisboa
- 15março.jpg

As tendências da decoração de interiores para o futuro

O velho ditado “A minha casa é o meu castelo” talvez nunca tenha tido tanto sentido como na situação atual em que nos encontramos. Como resultado da pandemia do coronavírus, o lar é precisamente o coração deste “novo normal”, onde passamos cada vez mais tempo. 


Engel & Völkers anuncia nova agência para a região de Faro-Tavira

A imobiliária Engel & Völkers anunciou hoje a abertura de uma sexta agência no Algarve, que trabalhará as zonas de Faro e Tavira e conta já com uma carteira de 50 imóveis com valores até 4,5 milhões de euros.


Procuram-se mais casas para arrendar ou para comprar em Portugal? E onde?

A pandemia está a ter efeitos diretos na habitação, a vários níveis. No caso da procura sobre a oferta, o impacto manifesta-se de forma distinta no mercado de arrendamento e no mercado de venda de casas, e segundo as diferentes regiões do país. 

Impacto da pandemia no imobiliário residencial: um retrato de 2020 e o que esperar de 2021

Os últimos 12 meses revolucionaram o mundo, a economia, os modos de vida e os mercados. A Covid-19 foi a grande protagonista de 2020, num ano marcado por grandes mudanças, a vários níveis, e que também impactaram o imobiliário.


Pandemia acelera negócios imobiliários do Algarve

De acordo com a Engel & Völkers, imobiliária alemã especializada na mediação de propriedades de luxo, os clientes estrangeiros que investem na região do Algarve têm fechado negócios em metade do tempo em relação ao período pré-pandemia, concretizando a operação com recurso apenas a visitas virtuais.

 Lisboa
- 8março.jpg

Dia da Mulher: 8 vozes femininas do imobiliário falam sobre o caminho para a liderança

Símbolo da resiliência, da luta pela igualdade de direitos, não só de género, mas também de equidade profissional. O Dia Internacional da Mulher celebra-se esta segunda-feira, dia 8 de março, em todo o mundo.

Os 27 fatores que dão ou tiram valor na avaliação de uma casa

Com o objetivo de valorizar a casa de forma mais realista, um perito avaliador identificou e analisou até 27 características com base na sua localização, tipo de imóvel, antiguidade e espaço interior.

Qual o perfil e as preferências de quem está a procurar casa em Portugal?

Mulher, entre 36 e 45 anos, que vive em casal, tem filhos e um contrato de trabalho por tempo indeterminado - este é o perfil médio de quem procura casa para comprar em Portugal. E quais as preferências e tendências, em termos de localização, tipologias e interesses na hora de procurar casa, seja para comprar ou arrendar?

Mediadoras imobiliárias podem abrir as portas a partir de 15 de março

As mediadoras imobiliárias podem abrir ao público a partir de 15 de março de 2021, fazendo parte do primeiro grupo de estabelecimentos definidos pelo Governo com luz verde para voltarem a funcionar de portas abertas.

 Lisboa
- 1março.jpg

Preço das casas para arrendar desce 0,6% em fevereiro

Os preços das casas para arrendar em Portugal desceram 0,6% em fevereiro de 2021, fixando-se em 11,1 euros por metro quadrado (m2). Em relação à variação trimestral, a descida foi de 0,9%, segundo o índice de preços do idealista. Em termos anuais, ou seja, face a fevereiro do ano passado, a descida foi de 3%.

Sete dicas para um teletrabalho mais eficaz

As mais recentes restrições impostas para enfrentar a crise do coronavírus obrigaram muitos a adotar novamente o teletrabalho, mas é necessário adaptar o espaço de trabalho para assegurar um ambiente tranquilo e produtivo.

Avaliação bancária de casas sempre a subir: dispara para 1.170 euros por m2 em janeiro

A subida constante do valor mediano da avaliação bancária de casas para efeitos de concessão de crédito à habitação mantém-se em 2021, em plena pandemia da Covid-19. Em janeiro, o valor fixou-se em 1.170 euros por metro quadrado (€/m2), tendo aumentado 1,2% face a dezembro de 2020 (1.156 €/m2) e 6,1% face ao período homólogo (1.103 €/m2). 

“Escritórios vão deixar de ser espaços estáticos para se tornarem locais mais dinâmicos”

“A pandemia e o teletrabalho vieram acelerar tendências que já estavam em desenvolvimento”, diz ao idealista/news

Duarte Aires, CEO da Vector Mais, empresa portuguesa – fundada em 2000 – que desenvolve projetos de conceção e construção de espaços interiores, apresentando soluções globais para escritórios, hotéis, retalho e espaços de saúde. O responsável considera que, na sequência da crise pandémica, irá assistir-se “a algumas mudanças” na “forma de trabalhar”, com os escritórios a deixarem “de ser espaços estáticos para se tornarem em locais mais dinâmicos que promovem a inovação e o trabalho de equipa”.

 Lisboa
- 22-28 fevereiro.jpg

Os 10 chalés de esqui mais caros do mundo

O chalé de esqui mais caro do mundo encontra-se em St.Moritz, Suíça, com um preço avaliado em 46,2 milhões de euros, de acordo com o Top 10 Ski Ranking da Engel & Völkers.

O que faz subir ou baixar o preço de uma casa na hora de vender

O ambiente onde se encontra a casa que se pretende colocar no mercado influencia o seu preço inicial. Além do mítico slogan de 'localização, localização, localização', é preciso ter em consideração outros fatores na hora de determinar qual é o valor adequado na hora de colocar a casa à venda e fazer um negócio de sucesso. O que faz subir ou baixar o preço de uma casa na hora de vender?


Preço das casas: "É natural que se verifiquem algumas correções dos valores praticados"

Num inquérito realizado junto de quatro mil profissionais a operar em Portugal, entre 2 e 11 de fevereiro de 2021, a Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) aferiu as consequências da pandemia e do novo confinamento junto do setor. No que diz respeito aos preços da oferta disponível, 62,5% dos profissionais apontaram para a sua manutenção, em janeiro, 31,4% para a sua quebra, e 6,1% registaram um aumento face ao mês anterior. Já em comparação com o período homólogo, 44,9% dos inquiridos afirmam que os preços se mantiveram, 37,5% que diminuíram e 17,6% que terão aumentado.


Consultores e agências imobiliárias com nova plataforma de marketing

A empresa Marketing Lovers acaba de criar uma nova unidade de negócio, lançando no mercado a Marca Segura. Em causa está uma plataforma de consultores e agências imobiliárias, em parceria com o Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM) e com a empresa de estudos de mercado Multidados, que tem como objetivo valorizar os profissionais do mercado imobiliário, através de um processo de certificação e avaliação do trabalho realizado.


Preço das casas arrefece na Europa com a pandemia: S&P prevê subida de 2,6% para Portugal em 2021

O preço da habitação vai arrefecer na maioria dos principais mercados europeus em 2021, segundo o relatório divulgado esta terça-feira, 23 de fevereiro de 2021, pela Standard & Poor’s (S&P). A agência de rating estima que os preços em Portugal cresçam 2,6% este ano, e que recuperem 4,7% em 2022.


Vistos gold: guia para continuar a investir e beneficiar do regime em Portugal

O programa dos chamados vistos gold tem um novo enquadramento legal, que determina restrições face ao modelo em vigor a partir do próximo ano. Mas está longe de ser o seu fim. Continuam a existir oportunidades no imobiliário e transferência de capitais para os investidores estrangeiros, em Portugal, ao abrigo do Regime das Autorizações de Residência para Investimento (ARI). 


Espaço, espaço, espaço... o fator que está a fazer subir os preços das casas na pandemia

Os preços das casas, ainda que menos do que em anos anteriores, continuaram a aumentar em 2020, em termos médios, no país - e a tendência de subida deverá manter-se este ano. E o que explica este fenómeno num contexto de crise económica gerada pela Covid-19?


SIL 2021 regressa em outubro presencial e digital: “Portugal continua a ser um destino atrativo”

Em 2020, devido à pandemia da Covid-19, a 23º edição do Salão Imobiliário de Portugal (SIL) foi reformulada, tendo-se realizado num formato híbrido . Este ano, a maior e mais importante feira do setor imobiliário em Portugal vai decorrer novamente durante quatro dias, de 7 a 10 de outubro , e num formato também misto, ou seja, presencial e digital.


 Lisboa
- 15-21fevereiro.jpg

Como preparar a compra de um terreno para construir uma casa

Comprar um terreno para construir casa é um processo complexo, com custos na aquisição, na elaboração dos projetos, na construção, assim como nos impostos e taxas adjacentes. Para que a compra de um terreno seja uma decisão bem-sucedida, neste artigo sintetizamos alguns aspetos que podem ajudar nesta decisão.

Proprietários em Lisboa: 40% têm rendas em atraso e metade acredita num agravamento do incumprimento

A maioria (77,3%) dos proprietários de Lisboa pretende manter os preços das rendas em 2021, sendo que apenas 10% pondera reduzir a mensalidade pedida aos inquilinos. Há ainda cerca de 12% de senhorios que ponderam aumentar a renda. Consequência ou não dos elevados preços praticados, nomeadamente em tempos de pandemia, quase 40% dos senhorios têm rendas em atraso, um cenário que pode aumentar nos próximos tempos. Estas são algumas das conclusões a retirar da segunda edição do Barómetro “Confiança dos Proprietários”, realizado pela Associação Lisbonense de Proprietários (ALP) e divulgado esta quarta-feira (17 de fevereiro de 2021).


Imobiliárias rejeitam “moratórias seletivas”: não há setores “imunes” à pandemia

O Presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária (APEMIP), Luís Lima, defende que a extensão das moratórias de crédito será fundamental para garantir a sobrevivência de muitas empresas, recusando que “a dilatação deste mecanismo seja direcionada para setores específicos da economia”.

Comprar ou arrendar casa na pandemia?

Escolher entre viver numa casa própria ou arrendada não é tarefa fácil, até porque tudo depende do contexto e da situação de cada pessoa. É preciso pesar as vantagens e desvantagens, estudar o mercado e estar consciente daquilo que se quer fazer. Comprar ou arrendar casa continua, por isso, a ser uma eterna questão sem resposta, até porque não existe uma fórmula matemática que indique a decisão certa. Há, ainda assim, um conjunto de dicas úteis para quem se debate com a dúvida entre ser inquilino ou tornar-se proprietário.


2021 arranca com juros do crédito à habitação em novos mínimos históricos

As taxas de juro implícitas do crédito à habitação caíram em janeiro, pelo quinto mês consecutivo, atingindo o novo mínimo histórico de 0,873%, segundo dados divulgados esta quarta-feira, 17 de fevereiro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Trata -se de um recuo de 2,4 pontos base face ao juro médio de 0,897% que tinha sido registado em dezembro. 

Contratos de arrendamento com redução do IRS: prazo para comunicar termina hoje

O prazo para os senhorios comunicarem os contratos de arrendamento de longa duração e que, por esse motivo, podem beneficiar de uma redução face à taxa especial de IRS de 28%, termina esta segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021.  Este benefício fiscal, existente desde 2019, incide sobre as rendas quando os senhorios optam por não englobar os rendimentos provenientes das rendas habitacionais aos restantes rendimentos. 

Lei dos vistos gold aos olhos dos investidores

O fim dos vistos gold para investidores imobiliários estrangeiros no litoral e áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, afinal, só vai entrar em vigor a partir de 1 de janeiro de 2022, de acordo com o decreto lei nº 12/2021 publicado em Diário da República. Apesar de considerar que, devido à pandemia e à recessão económica que vivemos, "este não é o momento” para restringir uma lei de captação de investimento estrangeiro como esta, a Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários (APPII) vê com “agrado” a possibilidade de se ter ainda mais um ano para “readequar” alguns investimentos.

 Lisboa
- 8-14fevereiro.jpg

Antiga mansão da cantora Cher à venda por 18,6 milhões de euros

A Engel & Völkers está a intermediar esta moradia exclusiva na Ilha LaGorce, que pertenceu à “Deusa da Pop” entre 1993 e 1996. A Ilha LaGorce, é uma ilha artificial que faz parte de Miami Beach, no sul da Flórida (EUA) e é famosa pelas propriedades de luxo à beira-mar.


Os 10 Chalets de esqui mais caros do mundo

O mercado de propriedades de esqui mantém-se estável. Os compradores atribuem importância à possibilidade de usar o imóvel durante todo o ano e valorizam a segurança, fácil acesso e privacidade.

Venda de um imóvel por um não residente em Portugal: os fatores a ter em conta

A venda de um imóvel localizado em Portugal, por um sujeito passivo não residente, para efeitos fiscais em território português, está sujeita a tributação em sede de IRS e terá de ser reportada na declaração de rendimentos relativa ao ano no qual a transação ocorreu.

Onde mais se está a procurar casa para comprar e onde há mais imóveis residenciais à venda no país?

O mercado imobiliário, à semelhança de muitos outros setores económicos, está a sentir os efeitos da Covid-19. Mas afinal como se estão a comportar a oferta e a procura de casas para comprar em Portugal com a pandemia? No ano passado, a procura por imóveis residenciais registou uma subida média de 62,3% e o stock apresentou um pequeno crescimento de 13,6% a nível nacional, de acordo com os dados recolhidos pelo idealista, analisando a variação entre janeiro e dezembro de 2020.

Pandemia com impacto diferente nas várias áreas dos peritos avaliadores imobiliários

A pandemia da Covid-19 está a ter um efeito diferente nas várias áreas de atuação dos peritos avaliadores imobiliários, com algumas a registarem quebras e outras uma maior dinâmica. “Perante um leque tão diversificado de áreas de intervenção [dos peritos avaliadores] é natural que a pandemia não se sinta de igual forma. Há áreas onde a pandemia veio criar uma dinâmica menor, outras em que veio criar uma maior dinâmica”, disse o vice-presidente da Associação Nacional dos Avaliadores Imobiliários (ANAI), José Franco de Araújo.

Imóveis de luxo: ritmo de vendas abrandou em ano pandemia, mas fecharam-se muito negócios

Ainda que a pandemia “tenha adiado uma série de negócios e causado um inevitável abrandamento de ritmo”, o imobiliário continuou a ser um dos motores da economia portuguesa. 

Millennials andam a comprar casas multimilionárias e estão a mudar o mercado

Os millennials estão a mudar “drasticamente” o mercado imobiliário de luxo nos EUA. Em nítido contraste com o estereótipo "preguiçoso" que definiu a sua geração, diz a Bloomberg, os jovens mais ricos não estão a viver no “sotão” dos pais, mas a comprar casas multimilionárias.


 Lisboa
- fevereiro.jpg

Home office | Sete dicas para um teletrabalho mais descontraído

A crise da COVID-19 está a impulsionar o conceito de home office. As mais recentes restrições impostas para enfrentar a crise do coronavírus obrigaram muitos a adotar novamente o teletrabalho. Mas são diversos os fatores que influenciam a concentração no home office e é importante assegurar que o espaço de trabalho em casa seja livre de distrações e permita um trabalho mais eficiente. A Engel & Volkers, imobiliária alemã líder na mediação de imóveis de luxo, partilha algumas sugestões que ajudarão a tornar o local de trabalho em casa num espaço funcional e personalizado.

Preços das casas ainda sobem em Portugal – mas já estão a cair em Lisboa

Os preços da habitação em Portugal continuaram a aumentar (7,6%) no terceiro trimestre de 2020, em plena pandemia da Covid-19, mas a um ritmo mais lento que o verificado nos últimos tempos. E em Lisboa verificou-se mesmo uma redução do preço mediano de venda das casas em termos homólogos (-1,8%). Em causa estão dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta terça-feira (2 de fevereiro de 2021), que permitem ainda concluir que há zonas do país onde a subida dos preços é mais notória: em algumas regiões do interior.

A importância das visitas virtuais na mediação imobiliária

Num mercado cada vez mais competitivo e no cenário de pandemia que atravessamos, é um dado adquirido que a tecnologia existente no mercado ganhou ainda mais força na mediação imobiliária, com a utilização de ferramentas poderosas de captação e venda como são as visitas virtuais 360º.

Apoio às rendas comerciais já arrancou com 150 milhões de euros, metade do anunciado

As candidaturas aos apoios a fundo perdido às rendas comerciais, no âmbito do programa Apoiar, arrancaram ontem com uma dotação de 150 milhões de euros, metade do valor anunciado em Dezembro pelo ministro de Estado, Economia e Transição Digital.

Comprar casa: quais os impostos a pagar?

Além do valor do imóvel em si mesmo e do dinheiro a ter em consideração para outras despesas inerentes à transação, é preciso calcular o montante a pagar em impostos. E no caso de um imóvel habitacional, aquando da sua aquisição, há que contar com dois impostos: o Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT) e o Imposto do Selo. 

Imobiliárias pedem prolongamento das moratórias de crédito

O Governo aprovou o prolongamento do prazo das moratórias de crédito às famílias e empresas até setembro de 2021, numa tentativa de manter um balão de oxigénio a todos os que foram e continuam a ser afetados pela crise. Perante o cenário de incerteza que se está a viver, face ao agravamento da pandemia, as imobiliárias já vieram pedir uma nova extensão deste mecanismo, pelo menos, “mais um ano ou até mais tempo”, e alertam que esta decisão deve ser “anunciada o quanto antes, para que os agentes económicos possam avaliar a sua situação”.

Luxo foi e será sempre o menos impactado pela crise

O mercado de luxo não está ao alcance de todos mas, mesmo assim, com a crise gerada pela pandemia, seria de esperar que este mercado contasse com algumas quebras. Na verdade, não foi isso que aconteceu.


 Lisboa
- 25janeiro.jpg

7 dicas para um trabalho mais descontraído em home office

A crise da Covid-19 está a impulsionar o conceito de home office. As mais recentes restrições impostas para enfrentar a crise do coronavírus obrigaram muitos a adotar novamente o teletrabalho. Mas são diversos os fatores que influenciam a concentração no home office e é importante assegurar que o espaço de trabalho em casa seja livre de distrações, permitindo assim que execute as suas tarefas diárias profissionais de forma mais eficiente. A Engel & Volkers, imobiliária alemã líder na mediação de imóveis de luxo, partilha algumas sugestões que ajudarão a tornar o local de trabalho em casa num espaço funcional e personalizado.

Volume de negócios da Engel & Völkers sobe para os €96,1M

No ano passado, a Engel & Völkers registou um aumento das receitas por comissões de 14% para 937,4 milhões de euros a nível global. Em Portugal, registou um volume de negócios das propriedades transacionadas de 96,1 milhões de euros, abaixo do recorde de 107 milhões registado em 2019, mas acima dos 80 milhões registados em 2018. Foi, assim, o segundo melhor resultado da rede no nosso país.

Avaliação bancária das casas fecha 2020 em novo máximo: 1.156 euros por metro quadrado

Em plena pandemia da Covid-19, o valor pelo qual os bancos avaliam os imóveis para efeitos de concessão de crédito à habitação tocou vários máximos em 2020. E o mesmo voltou a acontecer no final do ano, registando-se um recorde no mês de dezembro, quando o indicador de avaliação bancária das casas se fixou em 1.156 euros por metro quadrado (m2), e depois de duas subidas nos meses anteriores, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE). Isto permite concluir que o valor mediano da avaliação bancária no conjunto de 2020 situou-se em 1.129 euros por m2, o que representa um aumento de 7,7% face ao ano anterior.

Arrendamento de imóveis premium subiram 13,2% em 2020

Apesar da crise provocada pela pandemia da COVID-19, Portugal registou em 2020 um aumento de arrendamento de imóveis premium, que subiram 13,2% face a 2019. O volume de transações manteve-se estável em torno dos 1,3 milhões de euros, devido ao ajuste em baixa dos preços no mercado de arrendamento, refletindo uma nova dinâmica do mercado.

Lisboa e Cascais foram os municípios onde as casas foram mais caras no final de 2020

Sem surpresas, os municípios de Lisboa e Cascais foram aqueles que apresentaram os valores mais altos na venda de casas no último trimestre de 2020. Mas é nos concelhos de Cascais e Loulé (Algarve) onde os imóveis anunciados para venda e arrendamento no idealista são mais caros.

 Lisboa
- 18 janeiro.jpg

Dicas de um especialista para ajudar a mediação imobiliária a vencer o novo confinamento

Portugal está confinado por causa do agravar da pandemia e o funcionamento das atividades económicas sujeitas a regras diferentes e mais apertadas. Mas isso não significa deixar de trabalhar e de fazer (ou preparar) negócios. A pensar em como a mediação imobiliária pode sacar partido do que já aprendeu desde a chegada da Covid-19 para resistir nesta terceira vaga, e sair ainda mais forte para enfrentar o futuro com novas pistas.

É possível distribuir flyers e fazer prospeção porta-a-porta durante o confinamento?

Com o confinamento a decorrer, desde o passado dia 15 de janeiro de 2021, e conhecidas as regras de funcionamento da sociedade e da economia em geral, no país, para este período de recolhimento domiciliário, são várias as dúvidas que surgem associadas ao dia-a-dia de cada atividade. Na mediação imobiliária também. Depois de esclarecido o enquadramento global sobre o impacto das regras do novo confinamento no imobiliário, a pergunta mais frequente é "se é possível distribuir flyers e realizar prospeção porta-a-porta, uma vez que normalmente já há distanciamento".

Comporta cresce 29% em tempo de pandemia

A Comporta, empresa do ramo imobiliário, registou, em tempo de pandemia, um crescimento de 29%, com o lançamento de um volume significativo de novos projetos de hotéis e resorts, bem como a promoção de novas moradias e apartamentos privados ao longo da costa alentejana.

Mudar de casa durante o período de confinamento, é possível?

O dever de recolhimento domiciliário e o teletrabalho obrigatório estão de regresso a Portugal. Existem várias as exceções previstas ao confinamento, mas a mudança de habitação não se encontra contemplada expressamente na lei. No presente artigo, será analisado se é possível mudar de casa durante a pandemia e em que termos.


Banca continua disponível para financiar a compra de casa e mantém critérios apesar da pandemia

O

negócio do crédito à habitação continua a estar ao rubro em tempos de pandemia,

com os bancos a mostrarem disponibilidade para financiar a compra da casa e a manterem

“praticamente inalterados”

os

critérios de concessão de novos financiamentos

. Uma tendência que se deverá manter nos próximos meses, segundo dados que constam na edição de janeiro do “Inquérito aos Bancos sobre o Mercado de Crédito”, do

Banco de Portugal

(BdP).

 Lisboa
- 11janeiro.jpg

Preço das casas e do arrendamento em Portugal dispara 40% e 20% numa década

O preço das casas e do arrendamento em Portugal disparou nos últimos dez anos, tendo aumentado mais de 40% e de 20%, respetivamente, entre 2010 e o terceiro trimestre de 2020, um período já marcado pelo aparecimento da pandemia da Covid-19. Trata-se de um crescimento superior ao verificado na média dos países da União Europeia (UE) e da Zona Euro, que registaram subidas superiores a 20% e 10% no preço e nas rendas das casas, respetivamente.


Imobiliárias e construtoras têm resistido à pandemia e já superaram um confinamento

Num ano em que a pandemia pôs um travão à criação de novas empresas, as atividades imobiliárias e construção deram o tudo por tudo para fintar a crise, resistir aos efeitos do primeiro confinamento e da degradação económica ao longo de 2020, e manter-se de portas abertas, mesmo quando a Covid-19 obrigava a funcionar à distância e sem atender o público. Se é verdade que o número de constituições em ambos os setores caiu no ano passado, face ao período homógo, também os encerramentos e as insolvências recuaram. Segundo o barómetro setorial da Informa D&B, em 2020 fecharam 843 empresas ligadas às atividades imobiliárias, contra 1.084 em 2019, numa variação negativa de 22,2%. Na construção, um cenário semelhante: fecharam 1.205 empresas em 2020, menos 556 que em 2019 (1.761), ou seja, menos 31,6%.

O impacto das regras do novo confinamento no imobiliário

As lojas de mediação imobiliária podem abrir as portas? As empresas do setor podem continuar a funcionar? Podem realizar-se escrituras, contratos de promessa de compra e venda (CPCV), bem como de arrendamento? Podem fazer-se visitas a imóveis? As obras podem continuar? Respondemos com fundamento jurídico a estas dúvidas sobre o impacto das regras do novo confinamento no imobiliário.

Quais as casas mais procuradas na pandemia?

Que tipo de casa se quer comprar agora em Portugal? E para arrendar casa quais são as preferências do momento? Com que áreas e características? E onde se registam os preços mais altos e mais baixos? 


Vistos 'gold': Investimento captado cai 13% em 2020 para 646,7 milhões de euros

O investimento captado através dos vistos 'gold' caiu 13% em 2020, face ao ano anterior, para 646,7 milhões de euros, segundo contas feitas pela Lusa com base nas estatísticas do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

 Lisboa
- 4janeiro.jpg

Investimento em imobiliário mantém-se “vivo” e movimenta milhões apesar da crise

A pandemia do novo coronavírus afetou a economia um pouco por todo o mundo, e Portugal não é exceção. E o setor imobiliário também sentiu o “abalo” causado pela Covid-19. Ainda assim, o investimento manteve-se “vivo”, continuando a movimentar milhões ao longo do ano. Estão a nascer vários projetos imobiliários em Portugal, muitos com capital estrangeiro, algo revelador da atratividade do país como destino de investimento, mesmo em tempos de pandemia e num ano marcado pela incerteza e crise económica à escala global.


Comprar casa em 2021: dicas que valem ouro antes de dar o primeiro passo

Ano Novo, vida nova. Uma frase que para muitas pessoas poderá servir de inspiração para outra: Ano novo, casa nova. Mas esta é uma decisão que deve ser bem ponderada, já que a qualquer momento a vida pode mudar. Um bom exemplo disso mesmo foi o ano de 2020, marcado pela chegada da pandemia da Covid-19.


Como vender uma casa em Portugal a estrangeiros

O processo de compra e venda de um imóvel sito em Portugal quando o comprador é estrangeiro é, em quase tudo, semelhante aquele que teria lugar caso o comprador fosse um cidadão nacional. Contudo, existem algumas particularidades que importa ter em conta para que o processo de compra e venda corra de forma célere e sem percalços. 


Mais-valias na venda de imóveis: tudo sobre o regime fiscal do reinvestimento na habitação

As mais-valias na venda de imóveis é um dos temas que mais dúvidas levanta junto de quem quer avançar com um processo de alienação de casa. Como se calculam e como pode um contribuinte ter direito ao benefício fiscal? Quais os prazos e como se deve declarar no IRS? Há regras a seguir, determinadas na legislação. 


Vender casa agora, sim ou não? O que dizem os profissionais do setor

Numa época marcada por grande agitação social e económica, decorrente de uma inesperada crise sanitária à escala global, o setor imobiliário mostrou-se resiliente à pandemia. Ainda assim, a subida dos preços das casas abrandou, e perspetiva-se um cenário de estabilização - e até queda - que dá o mote à pergunta de milhões para qual toda a gente procura resposta:

vender casa agora, sim ou não?



 Lisboa
- 2021.jpg
 Lisboa
- 19 dezembro.jpg

Propriedade de cantor famoso há venda por 2,8M€

A Engel & Völkers está a intermediar a venda da habitação da celebridade norte-americana Bret Michaels – conhecido vocalista da banda Poison – na cidade de Scottsdale, no estado americano do Arizona, por aproximadamente 3,3 milhões de dólares americanos (cerca de 2,8 milhões de euros).

“Estamos encantados por estar a facilitar a venda deste extraordinário resort”, diz Bob Nathan, agente imobiliário da Engel & Völkers Scottsdale. E acrescenta: “Graças aos seus espectaculares acabamentos e comodidades, a residência é um verdadeiro oásis no deserto que precisa de ser experimentada”.

Vistos gold: investimento captado aumenta 35% em novembro para 50 milhões de euros

O investimento captado através dos vistos gold subiu 35% em novembro, face a igual período de 2019, para 50 milhões de euros, de acordo com contas feitas pela Lusa com base nas estatísticas do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Também face a outubro (28,6 milhões de euros) o investimento cresceu, representando um aumento de cerca de 75%. 

Quantos anos de salário bruto são precisos para pagar a casa?

Na hora de comprar uma casa há que ter em conta vários fatores: o preço do imóvel, a solvência financeira, o financiamento, os custos associados à transação. Mas importa também saber a taxa de esforço que implica a aquisição, ou seja o tempo (em anos) que uma habitação pode demorar a pagar, caso fosse usada a totalidade do salário bruto anual para esse fim. 

Antigo Museu da Rádio convertido em casa de luxo no coração de Lisboa

O setor da promoção imobiliária parece que não se dá por vencido em Portugal e, em plena pandemia da Covid-19, continuam a somar-se novos projetos ao mercado residencial. Agora, ficou a saber-se que o antigo palacete do século XIX onde, em tempos, esteve instalado o Museu da Rádio da RDP, a antiga Emissora Nacional, na zona da Lapa, em Lisboa, vai ser transformado numa habitação unifamiliar de luxo. 

Venda da casa e os impostos a pagar: tudo o que é preciso saber

Qual o impacto fiscal e as obrigações de um proprietário na sequência da venda de um imóvel? Que custos têm os donos de uma casa na hora de a vender? 

Prazos dos contratos de arrendamento suspensos até junho de 2021

A suspensão dos contratos de arrendamento, habitacionais e não habitacionais, deverá continuar até junho de 2021, face ao período de difícil situação económica causado pela pandemia da Covid-19.

 Lisboa
- dezembro.jpg

Ganhar o Euromilhões ou a lotaria e sonhar com uma destas bonitas (e luxuosas) casas de campo

Uma casa no campo é  desejo de muitos que pretendem passar um fim-de-semana relaxante, ou até para viver longas temporadas e passar férias. Onde não há trânsito, longe da confusão da cidade, em que o cheiro a natureza é mais limpo e a vista não é acompanhada por prédios que escondem o sol. E a verdade é que há muitas e bonitas casas de campo espalhadas pelo país: há para todos os gostos, de todos os tipos, mas não para todos os bolsos, claro. 

Custos de vender a casa: guia útil para proprietários

Quanto custa aos proprietários vender uma casa? Que impostos é preciso pagar e quais são os documentos a ter em conta na hora de vender uma casa? E que impacto tem no orçamento todo o processo relativo à transação de um imóvel? Preparámos um guia, com a ajuda da Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, que responde a todas estas questões sobre os custos de vender casa. Sim, porque mesmo em tempos de pandemia da Covid-19, o mercado imobiliário não parou, pelo contrário, tem mostrado estar resiliente. Contamos-te tudo sobre este assunto no artigo de hoje da Deco Alerta.

Venda de casas deve cair 15% em Lisboa e 25% no Porto devido à pandemia – e preços abrandam

A venda de casas deve cair 15% em Lisboa e 25% no Porto em 2020 à boleia da pandemia da Covid-19. Esta é uma das conclusões do estudo “Mercado Residencial em Portugal: Desempenho e Perspetivas”, da consultora imobiliária CBRE, que analisa em detalhe os mercados residenciais das duas principais cidades portuguesas. Trata-se de um relatório que aborda, entre outros temas, o potencial de crescimento do mercado de investimento institucional em habitação para arrendamento e o futuro do mercado residencial no país.

Pandemia acelera entrada de imobiliária 100% digital norte-americana em Portugal

A digitalização entrou em força nas nossas vidas com a pandemia da Covid-19, dando sinais de que veio mesmo para ficar. E a mediação imobiliária também pode ser e/ou ter um modelo de negócio virtual, 100% digital, sendo caso para dizer que as “regras do jogo” estão a mudar no setor. Prova disso é a chegada de novos 'players' ao mercado que seguem estas premissas. “A eXp Realty é uma imobiliária 100% online, o que permite inúmeras vantagens, principalmente para os agentes”, começa por dizer ao idealista/news Guilherme Grossman, Managing Broker Portugal da empresa norte-americana, que é apresentada esta quinta-feira (10 de dezembro de 2020) em Portugal.


Usucapião - tudo sobre este regime de aquisição de propriedade previsto na lei

O Código Civil (C.C.) consagra o regime associado à usucapião, que consiste na aquisição originária do direito de propriedade ou de outros direitos reais de gozo através da posse, quando mantida por determinado lapso de tempo. Mas quem tem a capacidade para a adquirir? A partir de que data se produzem os seus efeitos e em que prazo?


Renda Segura arrendou menos casas a privados e vai manter candidaturas abertas todo o ano de 2021

A segunda fase de candidaturas do programa Renda Segura já terminou e recebeu 107 candidaturas de proprietários interessados em arrendar os seus imóveis à Câmara Municipal de Lisboa (CML ), 40 das quais provenientes de Alojamento Local. A autarquia anunciou ainda que as candidaturas ao programa vão estar abertas durante todo o ano de 2021, a partir do dia 2 de janeiro, com as mesmas condições financeiras e a continuação do mesmo regime fiscal com isenção total de pagamento de IRS/IRC e IMI.

 Lisboa
- 4DEZEMBRO.jpg

Legislação do arrendamento aplica-se no novo estado de emergência?

Com a aprovação do primeiro estado de emergência por causa da pandemia da Covid-19, em março deste ano, a produção legislativa subiu em flecha, tendo sido várias as normas criadas para proteger as partes envolvidas numa relação de arrendamento - tanto arrendatários, como senhorios – e de que é exemplo a Lei n.º 4.º-C/2020. E o que acontece agora que somos confrontados com novos meses de estado de emergência? Continua a aplicar-se a mesma lei?

As casas tornaram-se o centro do mundo e isso vai impactar o imobiliário

É a partir de um único local que grande parte da economia e da sociedade mundial se está a mover atualmente: o lar de cada um - e assim será ainda mais no futuro, com a tecnologia como aliada. Por motivos de saúde, durante a pandemia, as casas tornaram-se o centro do mundo e isso vai impactar o imobiliário, uma vez que se assumem como o ponto estratégico para viver, trabalhar, consumir e muito mais. E esta tendência de homification está a ter efeitos diretos no valor dado à habitação, mas também afeta as áreas dos escritórios, comércio e outros segmentos do imobiliário.

Prestação da casa desce em dezembro para contratos com Euribor a 3 e 6 meses

A prestação da casa paga pelos clientes aos bancos vai descer em dezembro nos contratos de crédito indexados a Euribor a três e seis meses, face às últimas revisões, segundo simulação da Deco/Dinheiro&Direitos. As taxas Euribor estão em terreno negativo desde 2015 e a expectativa é que se mantenham negativas ou perto de 0% nos próximos anos devido sobretudo à política de estímulos monetários do Banco Central Europeu (BCE), o que tem impacto positivo nos créditos bancários, que estão mais baratos.

Posso ter dois créditos à habitação ao mesmo tempo?

Pode acontecer que, no processo de aquisição de um imóvel para viver, antes de ser concretizada a venda de outra casa, surja a necessidade de ter dois créditos à habitação ao mesmo tempo. Ou que, numa lógica de comprar casas para investir, ou para segunda residência, se tenha de, num determinado momento, acumular vários empréstimos. Mas isto é possível? E em que circunstâncias?

Espanhóis, franceses e belgas lideram aquisições na Comporta

A Engel & Volkers antecipa um forte crescimento do investimento em 2021, sendo que a Comporta encontra-se no topo da preferência dos compradores de imóveis internacionais que representa já 80% do mercado. Espanhóis, franceses e belgas são os mais interessados.

Em comunicado, fica a saber-se que o programa de “Vistos Gold” está progressivamente a atrair um número crescente de compradores estrangeiros para investir em bens imobiliários. A Comporta, localizada cerca de 120 quilómetros a Sul de Lisboa, registou o lançamento de um volume significativo de novos projectos de hotéis e resorts, bem como a promoção de novas moradias e apartamentos privados ao longo da costa alentejana.

OE2021 aprovado: afinal o que vai mudar no imobiliário no próximo ano?

Às portas de 2021, e num contexto de crise gerado pela pandemia da Covid-19, importa começar a preparar em força o próximo ano. O Orçamento do Estado para 2021 (OE 2021) foi, entretanto, aprovado no Parlamento e terá efeitos no imobiliário, verificando-se alterações com impacto tanto a nível das empresas como dos particulares. Senhorios com rendas até 1.500 euros em Lisboa vão ter desconto de 20% no IMI.
A Câmara de Lisboa aprovou uma proposta para isentar do pagamento de IMI os proprietários que tenham imóveis nos programas de habitação da autarquia e dar um desconto de 20% aos que pratiquem rendas até 1.500 euros.

Licenças de construção nova e reabilitação para habitação voltam a subir

Entre julho e setembro de 2020, e em relação ao trimestre anterior, a emissão de licenças de construção nova e reabilitação de edifícios habitacionais pelas câmaras municipais aumentou 12,2%, em resultado de um crescimento de 10,7% na construção nova e de 18,3% na reabilitação, de acordo com a Síntese Estatística da Habitação da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN). 

Engel&Volkers: dicas de Home Staging para valorizar o seu imóvel até 15%

A imobiliária Engel&Volkers partilha seis dicas de Home Staging que, segundo a marca, podem potenciar a venda do imóvel e garantir um melhor retorno financeiro.

Quando se toma a decisão de vender um imóvel, o desejo é que o processo se desenvolva de uma forma tão célere e lucrativa quanto possível. Uma das grandes tendência da actualidade ao nível da venda de imóveis é o Home Staging, ou seja, a transformação das divisões da casa através da decoração, de forma a potenciar mais rapidamente a venda.

Quartos para arrendar em Portugal: oferta sobe 22% com a Covid-19 e triplica no Porto

A oferta de quartos para arrendar em Portugal aumentou à boleia da Covid-19. Segundo dados do idealista, o número de quartos disponíveis para viver em casas partilhadas em novembro é quase 22% superior face ao registado no final do primeiro trimestre do ano, embora a evolução não tenha sido homogénea em todo o território nacional, tal como mostra esta análise. No Porto a oferta triplicou, numa variação de quase 200%, mas se rumarmos ao Alentejo, até Beja, encontramos um cenário bem diferente: nenhum registo de anúncios em novembro.


 Lisboa
- K.jpg

Investidores internacionais rendidos à Comporta

Em 2020, a Engel & Volkers, rede alemã de mediação imobiliário de luxo, revela que se assiste a uma procura muito forte de propriedades na Comporta. Clientes internacionais representam 80% do mercado. Espanhóis, Franceses e Belgas são os mais interessados.De acordo com a rede alemã, a Comporta, localizada cerca de 120 quilómetros a sul de Lisboa, registou o lançamento de um volume significativo de novos projectos de hotéis de cinco e quatro estrelas e resorts, bem como a promoção de novas moradias e apartamentos privados ao longo da costa alentejana.

Quanto tempo se demora a vender uma casa em Portugal - mapa dos dados por distritos

Quando um proprietário decide colocar um imóvel no mercado deve saber quanto tempo se demora a vender uma casa  até encontrar um interessado em comprar - esta mesma informação é também relevante para os agentes imobiliários e demais profissionais do setor. Sempre e agora, em plena crise pandémica, ainda mais. Em Portugal, o período de venda de casas ronda, atualmente, os cinco meses, tendo aumentado face ao terceiro trimestre de 2019 - quando se vivia em crescimento económico e sem o novo coronavírus. Há apenas um ano, em termos médios, contabilizava-se em pouco mais de quatro meses o tempo de um imóvel à venda no mercado nacional, segundo uma análise do idealista.

Valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário volta a cair em outubro

Em outubro de 2020, o valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário (FII), dos fundos especiais de investimento imobiliário (FEII) e dos fundos de gestão de património imobiliário (FUNGEPI) atingiu 10.356,9 milhões de euros, menos 61,2 milhões (0,59%) do que em setembro, revela a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Covid-19 reduz capacidade de comprar casa - mesmo com preços mais baixos

A crise económica desencadeada pela Covid-19 vai, tendencialmente, provocar uma quebra generalizada nos preços das casas em toda a Europa já em 2021 - Portugal incluído. Mas a tendência de descida não se irá traduzir num aumento das transações de compra, venda ou arrendamento de imóveis. Pelo contrário: a pandemia vai mesmo tornar mais difícil o acesso à habitação, acentuando desigualdades e afetando os grupos mais vulneráveis, nomeadamente a população mais jovem e os trabalhadores com baixos salários, segundo antecipa a agência de notação financeira Moody’s.

Hotéis e AL já podem ser usados temporariamente como escritórios e centros de dia (e muito mais)

Os estabelecimentos hoteleiros, de turismo de habitação e resorts estão autorizados, a partir de ontem (23 de novembro de 2020), a serem temporariamente usados como escritórios, 'showrooms' e centros de dia, segundo o decreto-lei publicado em Diário da República no domingo. Trata-se de uma medida que já era reclamada pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), que no início do mês referia que a decisão agora tomada estava do lado do Governo.

Taxa de juro do crédito à habitação desce em outubro – capital em dívida e prestação sobem

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação foi 0,932% em outubro, menos 3,4 pontos base que no mês anterior (0,966%). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro desceu de 0,966% em setembro para 0,914% em outubro. Em causa estão dados divulgados esta segunda-feira (23 de novembro de 2020) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Banco de Portugal alerta para o risco de correção em baixa dos preços das casas devido à pandemia

O mercado imobiliário tem conseguido resistir à crise pandémica, sendo as baixas taxas de juro e as moratórias aos empréstimos no crédito bancário as principais razões que contribuem para esta situação. No entanto, “apesar dos preços de venda do imobiliário residencial terem mostrado até agora resiliência, persistem riscos de uma correção em baixa, em particular a sobrevalorização dos preços em alguns segmentos e em algumas localizações, identificadas desde 2018”, considera Ana Paula Serra, administradora do Banco de Portugal (BdP).

Fim das moratórias vai trazer mais imóveis para o mercado

Os preços das casas subiram em flecha nos últimos anos, nomeadamente em Portugal, mas uma “nuvem” chamada pandemia pode fazer com que o crescimento abrande e que, por isso mesmo, se assista a uma descida generalizada dos mesmos. Um cenário já colocado em cima da mesa pela Comissão Europeia (CE) e pelas agências de notação financeira S&P e Moody's. Para Paulo Barros Trindade, presidente da Associação Profissional das Sociedades de Avaliação (ASAVAL), é de esperar, de facto, uma “correção de preços, verificando-se já esse efeito no mercado de arrendamento”.





 Lisboa
- novembro.jpg

Estrangeiros continuam interessados em comprar casa no litoral de Portugal, Espanha e Itália

O sul da Europa continua atraente para os investidores estrangeiros, apesar do impacto da pandemia do novo coronavírus no mercado imobiliário. Analisámos a oferta e a procura de habitação nas zonas costeiras de Portugal, Espanha e Itália, e o bom clima e a praia mostram continuar a ser pontos de referência para quem quer comprar casa nestes mercados. Entre junho e setembro, EUA, Reino Unido e Alemanha, destacaram-se como os países mais ativos na procura de propriedades localizadas junto ao litoral.


Vistos gold: investimento cai 52% em outubro para 28,6 milhões

O investimento captado através dos vistos gold caiu 52% em outubro, em termos homólogos, para 28,6 milhões de euros, de acordo com contas feitas pela Lusa com base nas estatísticas do SEF. Em outubro, o investimento resultante da concessão de vistos gold, como também é conhecido o programa de Autorização de Residência para Investimento (ARI) que fez oito anos no mês passado, ascendeu a 28.677.976,56 euros, uma quebra de 52% face a igual período de 2019 (59,9 milhões de euros). Relativamente a setembro (43,5 milhões de euros), a quebra foi de 34%.


Vender mais casas e fechar negócios imobiliários? Como fazer das redes sociais um aliado

O mundo vive com a pandemia há vários meses e não há, para já, um fim à vista, trazendo novos desafios à economia, de uma forma global, e ao setor imobiliário, em particular. A tecnologia transformou-se numa aliada, mas nem todos os profissionais estão preparados para fazer dela uma "arma" eficaz, seja para angariar, intermediar, gerir ou fechar negócios. E as redes sociais são uma variável crítica nesta equação. Mas para conseguir resultados é preciso saber utilizá-las, apurar comportamentos e estudar tendências, canalizando esforços e montando estratégias, que sirvam para, de facto, promover a marca e atrair potenciais clientes. Que ferramentas são essas? Que plataformas, redes e canais os agentes do setor devem utilizar? O que se ganha numas e noutras?


Preço das casas em Portugal vai cair no curto prazo, antecipa Bruxelas

Depois da escalada dos últimos anos, os preços da casas em Portugal começaram a desacelerar no segundo trimestre de 2020. E a expetativa da Comissão Europeia (CE) é que venham a cair mais, no curto prazo. Sem apontar estimativas em forma de número, Bruxelas antecipa uma tendência de baixa dos preços da habitação no mercado português, atribuindo "culpas" à pandemia, mas dizendo que também o reforço da oferta de nova construção residencial deverá contribuir para este fenómeno de ajustamento. Por outro lado, o relatório da 12ª missão de avaliação pós-programa de ajustamento económico destaca a resiliência que o setor imobiliário tem mostrado nesta crise.

Mercado de escritórios de Lisboa a recuperar, mas ocupação anual recua 29% face a 2019

O mercado de escritórios de Lisboa está a sentir os efeitos da crise pandémica, tendo sido ocupados nos dez primeiros meses do ano 114.027 metros quadrados (m2),num total de 76 operações e uma área média de 1.500 m2. Uma taxa de absorção 29% abaixo da verificada no mesmo período do ano passado. Em outubro, no entanto, registou-se uma evolução mensal positiva, com um ‘take-up’ de 11.986 m2 – foram concluídas cinco operações, das quais três com áreas superiores a 2.000 m2. 


Quintas paradisíacas são a solução para o fim-de-semana

No cenário actual, a Engel & Völkers, multinacional alemã de mediação de imóveis de luxo, tem registado uma procura por propriedades que garantam segurança e conforto, mas acima de tudo uma relação de proximidade com a natureza. As casas rurais são, assim, ideais para quem quer longe dos centros urbanos.Sexta-feira é por costume o último dia da semana de trabalho dos portugueses, em que muitos sonham pegar logo nas malas e viajar para o interior. Onde não há trânsito, longe da confusão da cidade, em que o cheiro a natureza é mais limpo e a vista não é acompanhada por prédios que escondem o sol. Uma casa no campo é desejo de muitos que pretendem passar um fim-de-semana relaxante.


Habitação vai receber 1.251 milhões de euros para ajudar classe média a ter rendas acessíveis

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou ontem que serão investidos 1.251 milhões de euros, nos próximos seis anos, na habitação, no âmbito do Programa de Recuperação e Resiliência. “Essa nova geração de políticas de habitação tem uma grande oportunidade através do Programa de Recuperação e Resiliência", disse o chefe do Governo.

Durante a cerimónia de homologação do “Acordo de Colaboração no âmbito do 1.º Direito para o Município do Porto", o primeiro-ministro salientou a necessidade de existirem “mecanismos de financiamento fora do perímetro de consolidação orçamental” que auxiliem a financiar programas de resposta à classe média e de acesso ao arrendamento acessível.

 Lisboa
- 16 novembro.jpg

Engel & Völkers promove evento de recrutamento online

A Engel & Völkers, multinacional alemã de mediação de imóveis de luxo, organiza a 19 de Novembro (18h00), uma acção de recrutamento para todo o território nacional. É a primeira vez que a imobiliária premium realiza uma ação desta envergadura em Portugal, numa aposta de confiança no mercado português.“Verificamos que há muita procura para trabalhar nesta área. Só em Lisboa registamos cerca de 230 pessoas interessadas em colaborar com a Engel & Völkers, que assistiram a eventos de recrutamento virtuais. O talento é uma das principais prioridades na nossa empresa e procuramos constantemente os melhores profissionais para realizar os melhores negócios”, refere Constanza Maya, Head of Operations & Expansion na Engel & Völkers Espanha, Portugal e Andorra.


O impacto da Covid-19 no mercado imobiliário no sul da Europa

Quase oito meses depois de ser declarada a pandemia mundial da Covid-19 e com "o mundo de pernas para o ar" - devido a uma crise sanitária, que rapidamente se tornou económica, social e política - quais foram, afinal, os efeitos no mercado imobiliário residencial no sul da Europa? De forma resumida, e genericamente, pode dizer-se que em Portugal, Espanha e Itália registaram-se impactos na oferta e na procura, mas os preços se mantiveram estáveis.


1º Salão Imobiliário do Minho: "O objetivo é criar um centro de negócios" para atrair investidores

O 1º Salão Imobiliário do Minho (SIMinho 2020) está a chegar. O evento, num formato totalmente virtual, vai realizar-se entre os dias 13 e 15 de novembro de 2020, e quer “criar um centro de negócios imobiliários trazendo visitantes nacionais e estrangeiros até às empresas”, tal como explica Marcelo Roessle, um dos gestores da organização do Salão.


As vantagens da pré-aprovação no crédito habitação

Se anda à procura de casa e se encontra num impasse porque não lhe aparece a dos seus sonhos ou está a um preço impossível, faça uma paragem tática e siga outro caminho. Tendo em conta que os bancos só podem emprestar 90 por cento do valor total, que tal falar com os bancos ou com um intermediário de crédito e pedir uma pré-aprovação de um crédito habitação? 


Portugal lidera Europa no crescimento do investimento imobiliário

O investimento imobiliário em Portugal está a suportar a crise da pandemia melhor do que os restantes mercados europeus, segundo um relatório da consultora imobiliária Savills. Nos primeiros nove meses deste ano, marcado pela pandemia, o investimento em Portugal cresce 35% face à média de igual período nos últimos cinco anos. No conjunto da Europa, o investimento apresenta uma quebra de 15%, para um total de 164 mil milhões de euros.

Preço de venda das casas estabiliza em outubro após descida de setembro

O Índice de Preços Residenciais, avançado pela Confidencial Imobiliário, revela que em outubro o preço de venda das casas em Portugal continental apresentou uma variação nula face ao mês anterior, não confirmando a descida registada em setembro e voltando ao registo de estabilidade observado durante a pandemia.


 Lisboa
- 6 NOVEMBRO.jpg

Setor imobiliário vai registar em 2020 o terceiro melhor ano de sempre

As estimativas apontam para que o imobiliário comercial chegue aos 2,7 mil milhões de euros em imóveis transacionados em 2020 e que as transações que envolvem o segmento residencial atinjam os 23 mil milhões de euros. Em 2019, estes segmentos registaram 3,2 mil milhões e 25 mil milhões de euros, respetivamente, em imóveis transacionados.

O que mudou no comprador do imobiliário? “Há um acelerar de coisas que já vinham de trás”

A pandemia trouxe muitas alterações na sociedade e no dia a dia de todos nós, em termos pessoais e profissionais. Muita coisa mudou e pode ainda vir a mudar no pós-Covid-19, e o setor imobiliário não é exceção. Será que os potenciais compradores de casas estão de facto a “fugir” das cidades com maior densidade populacional ou que, devido ao teletrabalho, as empresas deixarão de ter escritórios? Apesar das dúvidas e do contexto de incerteza, há dados que mostram que, na prática, estas (e outras) tendências já se verificavam antes da crise pandémica. Este foi um dos assuntos abordados na 4ª edição do Imocionate, que se realizou online esta terça-feira (3 de novembro de 2020) e teve o idealista como portal oficial.

O impacto da Covid-19 no mercado imobiliário no sul da Europa

Quase oito meses depois de ser declarada a pandemia mundial da Covid-19 e com "o mundo de pernas para o ar" - devido a uma crise sanitária, que rapidamente se tornou económica, social e política - quais foram, afinal, os efeitos no mercado imobiliário residencial no sul da Europa? De forma resumida, e genericamente, pode dizer-se que em Portugal, Espanha e Itália registaram-se impactos na oferta e na procura, mas os preços se mantiveram estáveis. Explicamos agora, em maior detalhe, com base numa análise do idealista.

Subida nos preços das casas na Europa gera preocupação: resiliência do mercado até quando?

O mercado imobiliário tem-se mostrado resiliente à crise e nem a profunda recessão global, gerada pela pandemia do novo coronavírus, impediu a contínua subida de preços das casas - o crescimento acelerou para um ritmo anual de quase 4% entre o clube de países ricos da OCDE neste ano, com aumentos ainda mais rápidos no que respeita à Europa e EUA. Mas alguns economistas mostram-se preocupados com este cenário, e perguntam-se se é uma questão de tempo até que as consequências económicas atinjam o mercado imobiliário europeu.

Bancos deram mais de 751 mil moratórias até setembro – crédito à habitação lidera ranking

Até 30 de setembro, data em que terminou o prazo para se aceder à moratória pública – aprovada pelo Governo na sequência da pandemia da Covid-19 –, os pedidos de adesão a moratórias de crédito abrangeram 812.214 contratos, tendo sido aprovadas e/ou concedidas 751.725 moratórias. Os restantes 60.489 contratos correspondem a situações que estavam ainda em apreciação ou que não preencheram as condições de acesso, revelou esta quinta-feira (5 de novembro de 2020) o Banco de Portugal (BdP).


Eficiência energética dos edifícios: Governo garante cumprir exigências de Bruxelas

O Governo garantiu que vai entregar a Bruxelas os relatórios em falta sobre eficiência energética dos edifícios até ao final do ano, como previsto, cumprindo o prazo dado pela Comissão Europeia (CE) e sem qualquer procedimento por incumprimento.

“O prazo é suficiente e a entrega do três segundos relatórios estava já prevista e determinada até ao final de 2020. Assim, o prazo será cumprido e, nessa medida, não haverá lugar a qualquer procedimento por incumprimento”, disse à Lusa fonte oficial do Ministério do Ambiente e da Ação Climática.

 Lisboa
- 26 outubro.jpg

Onde e em que ativos imobiliários querem investir os promotores e investidores em Portugal?

O que se pode esperar em Portugal em termos de investimento imobiliário no curto e médio prazo? Em plena crise económica gerada pela pandemia da Covid-19, a APPII - Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários decidiu questionar os seus cerca de 200 associados, que representam investimentos anuais na ordem dos 30 mil milhões de euros, ou seja, o equivalente a 15% do PIB nacional. 


Avaliação bancária das casas ainda em máximos históricos – 1.128 euros por m2 em setembro

Em setembro, o valor mediano de avaliação bancária em Portugal, realizada no âmbito de pedidos de crédito à habitação, manteve-se nos 1.128 euros por m2 registados em agosto, mês em que atingiu um novo recorde – tinha subido um euro face a julho, segundo dados divulgados esta quarta-feira (28 de outubro de 2020) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 


Benfeitorias imobiliárias: o que são e para que servem?

As benfeitorias, de uma forma genérica, consistem nas despesas realizadas com vista a conservar ou melhorar o imóvel. E existem três tipos de benfeitorias: as necessárias, as úteis e as voluptuárias, conforme tipificado no art.º 216.º do Código Civil (C..C), que consagra este regime. Mas em que consistem, de facto, para que servem e como se processam? 


Bruxelas não quer acabar com os programas golden visa como o português

Depois de o Governo ter vindo a anunciar que pretende acabar com o programa em Lisboa e Porto, o Parlamento Europeu veio exigir o fim imediato dos 'golden visa'. Acontece que, afinal, Portugal escapa a esta petição europeia, uma vez que o programa em vigor a nível nacional contempla um regime de atribuição de residência e não de cidadania, como acontece no Chipe, Malta e Bulgária, por exemplo.


Rendas de apartamentos estão a cair nas cidades mais ricas do mundo

As rendas dos apartamentos estão a cair nos grandes centros financeiros do mundo, como Nova Iorque, Toronto, Londres ou Sidney. Quer os estudantes internacionais, que habitualmente fazem crescer a procura, quer os jovens arrendatários, o grupo mais móvel no setor imobiliário, veem menos motivos para pagar um preço elevado para viver nos locais que, afinal, já não são o centro de tudo.


Onde e em que ativos imobiliários querem investir os promotores e investidores em Portugal?

Afinal, o que pode esperar Portugal em termos de investimento imobiliário no curto e médio prazo? Foi com base nesta premissa que, em plena crise económica gerada pela pandemia da Covid-19, a APPII - Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários decidiu questionar os seus cerca de 200 associados, que representam investimentos anuais na ordem dos 30 mil milhões de euros, ou seja, o equivalente a 15% do PIB nacional. O idealista/news revela agora os resultados do 'survey', em primeira mão, sendo que 95% das respostas são no segmento habitacional.


Banca volta a dar mais crédito para a compra de casa

O 'stock' dos financiamentos para a compra de casa voltou a subir em setembro, sete meses depois do início da pandemia, e atingiu os 93.998 milhões de euros. Um valor que está acima dos 93.786 milhões de euros de agosto e dos 92.909 milhões de euros de setembro de 2019, e que também já é, de resto, o mais alto desde abril de 2017. Os dados são do Banco de Portugal (BdP) e revelam que o conjunto total de empréstimos aos particulares aumentou para 119.831 milhões de euros no mês passado, face aos 119.519 milhões de euros de agosto e aos 118.205 milhões de euros do mês homólogo - o valor mais elevado desde novembro de 2015.


Imobiliário: a janela de oportunidade (de emprego) para profissionais do Turismo. 

O sector do Turismo está a ser um dos mais afectados com a pandemia do novo coronavírus. De acordo com o Instituto Nacional de Estatísticas, as quebras são acima dos 80%, com o sector hoteleiro algarvio a registar perdas de cerca de 850 milhões de euros, indica a Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve. Ao contrário da zona centro do País, em que o Turismo Rural está quase a 100% de ocupação, a zona sul sentiu-se mais afectada com a ausência de estrangeiros.

 Lisboa
- 8-14.jpg

Engel & Völkers em expansão em Cascais

A Engel & Völkers anunciou que acaba de abrir um novo escritório em Cascais, no renovado “Onyria Quinta da Marinha Hotel”, junto ao campo de golfe da Quinta da Marinha. E prevê aumentar o número de consultores imobiliários premium em Cascais e no Estoril até ao final do ano.

Os novos Licence Partners de Cascais e Estoril são da família Pinto Coelho – proprietários do Grupo Onyria – numa segunda parceria com a Engel & Völkers na sequência do trabalho iniciado em 2015 em Lagos, Vila do Bispo e Aljezur.

Suecos escolhem Portugal para abrir escritório para ajudar as marcas a ter localizações de sucesso

A localização certa de uma loja ou restaurante é considerada, no mercado imobiliário, um critério estratégico para o sucesso do negócio. Mas está longe de ser um fator único. A informação sobre esse espaço, como o horário e própria localização, é também fundamental; e um erro de comunicação pode mesmo revelar-se fatal para uma marca – caso a informação disponibilizada online esteja errada, por exemplo. Foi para atuar neste segmento de mercado, no location marketing (ou SEO local; marketing de localização), que a empresa sueca PinMeTo decidiu “aterrar” em Portugal, com a abertura de um novo escritório em Lisboa. O objetivo é simples: ajudar as marcas com várias localizações a gerir cada um dos espaços numa plataforma centralizada, garantindo que todas as informações disponíveis sobre elas digitalmente estão atualizadas e corretas.

À procura de casa? Quanto custa comprar e arrendar junto às melhores escolas do país

O processo de procura de casa, seja para comprar ou arrendar, é condicionado por vários fatores. E no caso das famílias, um dos mais relevantes é a proximidade de escolas. Mas será que estar perto de uma determinada instituição de ensino influencia o preço da casa? E se essa escola fosse uma das melhores de Portugal, isso afetaria o preço por metro quadrado (m2) dos imóveis residenciais na zona? De uma forma global, pode concluir-se que as melhores escolas estão localizadas nas zonas consolidadas de classe média-alta.

Vendas de residências no Amendoeira Golf Resort disparam na pandemia

A procura por residências no Amendoeira Golf Resort, situado em Alcantarilha, perto de Silves (Algarve), aumentou em 2020, ano marcado pela chegada da pandemia da Covid-19, e já superou em 80% o total de vendas do ano passado. A liderar a procura estão as moradias com piscina privada e jardim.

Vistos gold: promotores e investidores imobiliários querem período transitório de um ano

O Governo quer ter o diploma que determina o fim da atribuição de vistos gold nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto pronto até final do ano, uma decisão que já foi contestada pela Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários (APPII), que adianta que a medida poderá custar 700 milhões de euros por ano à economia nacional. A associação considera, de resto, que as novas regras que estão a ser preparadas pelo Executivo não deverão entrar em vigor sem que seja estabelecido um período transitório de pelo menos um ano.

As implicações por ser fiador num crédito a habitação

É muito frequente nos contratos de empréstimo para compra de habitação e, cada vez mais, nos de arrendamento, a exigência de fiança, que não é mais do que o contrato pelo qual o fiador se compromete a pagar a dívida do devedor, no caso de este não o fazer.

Por isso, sempre que lhe for solicitado ser fiador deve ponderar muito bem a situação, mesmo que o pedido seja feito por familiares ou amigos próximos.

Ao tornar-se fiadora, a pessoa está a colocar o seu património como garantia de uma dívida de terceiros, pois fica obrigado perante o credor a responder pelas dívidas em caso de incumprimento.

Siga 10 conselhos para solicitar um Crédito Habitação

São poucos os portugueses que conseguem comprar casa com recurso a capitais próprios, acabando por recorrer aos bancos para solicitar um crédito habitação. Para ter acesso a um crédito habitação deverá começar por fazer uma pesquisa, reunir-se com as várias instituições e, no caso de ser aprovado, tratar de toda a burocracia da compra da casa.

O crédito habitação é um produto bancário com o tipo de contratos de crédito mais barato do mercado, uma vez que tem associada uma garantia de um ativo real. É também um crédito que possibilita alargar em muito o prazo, o que resulta em prestações mais reduzidas quando comparadas com os créditos pessoais ou outros créditos de curto prazo.

 Lisboa
- 12-18OUTUBRO.jpg

Cinco mansões e palácios à venda em Portugal para viver como uma celebridade

Desde grandes solares na região Norte do país até palácios com vista para o rio Tejo: há muitas propriedades exclusivas espalhadas por Portugal, perfeitas para viver como uma celebridade. Até a rainha da pop, Madonna, se apaixonou pelos encantos do território luso, e escolheu um palacete em Lisboa para viver durante uma temporada. Quem não gostaria de viver numa mansão ou palácio de luxo, dignos das maiores estrelas de Hollywood e do mundo da música?Na galeria de hoje, apresentamos algumas das mansões e palácios à venda em Portugal, comercializados pela Engel & Volkers, de norte a sul do país. Propriedades com vista para o rio, mansões no Algarve que nos transportam para Beverly Hills, ou um solar em pleno coração do Minho - há várias opções e para todos os gostos.


Ser fiador de um inquilino no arrendamento de uma casa, sim ou não?

A existência de um fiador a um inquilino – por parte de um senhorio – aquando da celebração de um contrato de arrendamento não é uma obrigatoriedade, apesar de alguns “donos de casa” assim o exigirem. Que cuidados deve ter um arrendatário na “escolha” do fiador e o que significa realmente ser fiador num contrato de arrendamento? Explicamos tudo sobre este assunto no artigo de hoje da Deco Alerta.


Há quase 727 mil créditos com moratória e maioria (42,9%) é relativa a empréstimos da casa

Entre 27 de março e final de agosto, os bancos receberam pedidos para moratórias relativas a 787.807 contratos de crédito, tendo sido aplicada esta medida a 726.996 contratos, divulgou o Banco de Portugal (BdP) na Sinopse de Supervisão Comportamental. De referir que a maioria dos contratos de crédito abrangidos pelas moratórias (42,9%) são relativos a empréstimos para habitação própria permanente e outros créditos hipotecários.


Segunda vaga da Covid-19 leva ao cancelamento de eventos imobiliários (internacionais e em Portugal)

A pandemia continua a deixar marcas na economia, nomeadamente no segmento da realização de eventos. E o setor imobiliário é um dos afetados, com o sucessivo adiamento e/ou cancelamento de importantes feiras. É o caso, por exemplo, do Salão Imobiliário do Porto (SIP), do MIPIM, a maior e mais importante feira imobiliária do mundo, e da Expo Real, o maior evento do setor na Europa. De “portas abertas” ao público esteve, recentemente, o SIL, que se realizou em conjunto com a Tektónica e com a Intercasa – decorreu no pavilhão 1 da FIL, em Lisboa, em formato híbrido.


Preços no arrendamento contrariam expectativas

De acordo com o Imovirtual, o preço médio de arrendamento aumentou em Setembro (+1,74%). Viana do Castelo (+5%), Viseu (+3,64%), Porto (+3,14%) e Aveiro (+3,03%) são os distritos que apresentam a maior variação no preço médio.

De acordo com o portal, o preço médio de arrendamento anunciado em Portugal passou de 1.032€ em Agosto para 1.050€ (+1,74%) em Setembro.

Bragança foi o distrito a apresentar a maior quebra no preço médio de arrendamento (-20%) face a Agosto deste ano. A nível dos distritos que no mês de Setembro apresentaram um preço médio anunciado de imóveis para arrendar mais baixo do País foram Portalegre, Guarda, Bragança e Castelo Branco, com 310€, 331€, 373€ e 395€, respectivamente.

No que diz respeito ao preço médio de venda anunciado em Setembro foi 339.680€, enquanto em Agosto tinha sido 339.799€ (-0,04%).

Apesar de ter diminuído (-0,49%) face ao mês anterior, o distrito mais caro para comprar um imóvel em Portugal continua a ser Lisboa, sendo que um imóvel custa em média 536.787€.




 Lisboa
- 5-11 OUTUBRO.jpg
Custos de construção de casas novas aceleram em tempos de pandemia: subiram 2,5% em agosto

Os custos de construção de habitação nova em Portugal registaram um aumento de 2,5% em agosto, mais 0,4 pontos percentuais (p.p.) que o observado no mês anterior, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Os preços dos materiais e da mão de obra também subiram: apresentaram, respetivamente, variações de 1,3% (0,9% no mês anterior) e de 4,3% (3,8% em julho) face ao período homólogo.

“Em agosto, a variação homóloga estimada do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova (ICCHN) foi 2,5%, taxa superior em 0,4 p.p. à observada em julho. No mês em análise, os preços dos materiais aumentaram 1,3% (0,9% no mês anterior). O custo da mão de obra aumentou 4,3% em agosto (3,8% em julho)”.

Architect Your Home dá dicas para melhorar a casa em tempos de pandemia no SIL 2020

O Architect Your Home (AYH), escritório de arquitetura, reabilitação urbana e decoração, decidiu marcar presença no Salão Imobiliário de Lisboa (SIL 2020) - realiza-se na FIL até 11 outubro de 2020 – de uma forma diferente: através de uma exposição retrospetiva da obra realizada nos últimos oito anos, com a seleção e exposição de projetos emblemáticos do atelier, de um universo de mais de 300 trabalhos realizados. E mais, o atelier vai ter uma equipa de arquitetos e decoradores especializados na área residencial que irá estar a dar dicas sobre como melhorar a casa nestes tempos de pandemia  - um aconselhamento que será gratuito para todos os visitantes da feira.


O problema da habitação acessível: custos (de construção) a mais, para rendimentos a menos

O problema não é novo. E a solução para o problema, também não. Há muito que o imobiliário discute a necessidade de criação de um mercado de habitação acessível em Portugal, algo que, na opinião dos especialistas do setor, continua longe de um cenário ideal por falta (também) de uma sinergia entre a esfera privada e pública. Todos são unânimes em dizer que o país precisa de casas que os portugueses possam pagar, mas alertam para os custos de contexto e construção - cada vez mais elevados - que acabam por refletir-se na fatura final. A carga fiscal e instabilidade legislativa também entram na equação deste problema, assim como os rendimentos das famílias, longe de acompanharem a subida de preços da habitação registada ao longo dos anos.

Antiga fábrica em Matosinhos convertida em 3.200 m2 de escritórios – com jardim e rooftop incluídos

O projeto Metropolis - A Fábrica nasce da reabilitação de uma antiga fábrica em Matosinhos, transformada num espaço de escritórios. Tem, por isso, uma arquitetura industrial na qual se destaca a estrutura metálica à vista. O imóvel integra o portefólio do The Edge Group, Teak Capital e Tangor, e conta com uma área de 3.214.90 metros quadrados (m2) disponíveis já no fim deste ano, distribuídos por dois edifícios de dois pisos. Situa-se a dois minutos a pé do Norte Shopping, em frente à estação de metro das Sete Bicas, por onde passam diretamente todas as linhas da rede de Metro do Porto.


Presente e futuro do imobiliário em discussão no primeiro dia do SIL 2020

O arranque da edição deste ano do Salão Imobiliário de Portugal (SIL) – começa esta quinta-feira (8 de outubro de 2020) e termina domingo (11 de outubro de 2020) e decorre em formato híbrido, devido à pandemia da Covid-19 – acontece com o SIL Investment Pro Powered by APPII. Trata-se de um dia de conferências que abordarão os principais temas da atualidade do setor imobliário nacional. As mesmas decorrem no auditório do PT Meeting Center, na FIL, entre as 11h30 e as 18h00. 

Senhorios: contribuintes que declararam rendimentos de rendas aumentaram 30%

O número de contribuintes que declarou no IRS ter recebido rendimentos de rendas em 2018 ascendeu a 769.110, crescendo 30,3% face aos 590.120 que o fizeram relativamente ao ano anterior. A subida destes contribuintes foi acompanhada pelo valor que declararam e que, segundo indicam os dados estatísticos do IRS de 2018 (cuja declaração foi entregue em 2019) agora divulgados pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), avançou 13,2%.

No total, estes contribuintes declararam ter recebido 2.194 milhões de euros em rendimentos prediais, sendo esta a primeira vez desde, pelo menos, 2005 que o valor supera a fasquia dos dois mil milhões de euros. Os dados indicam que no IRS de 2016 foram declarados 1.775 milhões de euros em rendimentos prediais (Categoria F), tendo o valor subido para os 1.939 milhões de euros no ano seguinte.


 Lisboa
- outubro.jpg

Engel & Völkers quer liderar mercado de arrendamento de Lisboa

A Engel & Völkers criou uma divisão para o mercado de arrendamento de Lisboa. A multinacional alemã de mediação de imóveis de luxo aposta nesta estratégia de forma a atingir a liderança deste nicho de mercado na capital portuguesa. O novo departamento visa oferecer aos clientes, tanto senhorios como arrendatários, uma abordagem profissional, especializada e um serviço de excelência no mercado. 

Nesta divisão focada em arrendamentos estão para já dez consultores imobiliários a trabalhar uma carteira de 100 imóveis, com uma renda média de cerca de 2.000 euros por mês. O grupo é liderado por Maria Sousa, que afirma querer chegar ao meio milhar de imóveis dentro dos próximos seis meses.


É obrigatório haver um fiador no contrato de arrendamento?

O mercado de arrendamento parece estar a ganhar “adeptos” em Portugal, havendo cada vez mais pessoas a optar por arrendar casa em vez de comprar. Uma tendência espelhada nos dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE), que mostram que o número de novos contratos aumentou no primeiro semestre face ao período homólogo. Será que, aquando da celebração de um contrato entre senhorio e inquilino, é obrigatório haver um fiador?



Preço das casas volta a subir em tempos de Covid-19: aumenta 1% no terceiro trimestre de 2020

Depois de terem subido 1,6% e 0,5% no primeiro e segundo trimestres de 2020, respetivamente, face aos trimestres anteriores, os preços das casas em Portugal voltaram a aumentar já em tempos de pandemia da Covid-19: cresceram 1% entre julho e setembro face aos três meses anteriores, para 2.090 euros por metro quadrado (m2). Em termos anuais, ou seja, comparativamente com o terceiro trimestre de 2019, o aumento foi de 5,5%, segundo o índice de preços do idealista.


Investimento de €27M transforma Faculdade Moderna em projeto habitacional

A antiga Faculdade Moderna, em Lisboa, vai ser alvo de um investimento de cerca de 27 milhões de euros, que a vai transformar no projeto habitacional Bom Sucesso.

Promovido pela Vogue-Homes, este empreendimento situa-se em Belém, nas imediações do CCB. Vai resultar da reabilitação de 4 edifícios históricos, outrora utilizados pela faculdade Moderna, de traça industrial, agora adaptados às necessidades de habitação atuais, no espaço onde funcionou o Convento de Nossa Senhora do Bom Sucesso, de 1645. Num total de 11.000 m² e 47 frações de habitação premium unifamiliar e coletiva, e tipologias até T4, o condomínio terá também pátios, terraços e jardins. A arquitetura fica a cargo da Miguel Saraiva Associados.


As transformações digitais no mercado imobiliário

Ao longo de vários anos, muitas áreas de atividade foram impactadas pelo digital e ainda mais nesta fase que estamos a passar, o Marketing Digital tornou-se ainda mais forte e presente, fazendo parte do dia-a-dia dos consumidores digitais. 

O marketing digital é muito mais do que uma tendência passageira. Durante anos, revolucionou o relacionamento entre consumidores e empresas. E o setor imobiliário não é excepção, pelo contrário! Os profissionais do sector imobiliário também devem de se adaptar às novas práticas do comércio.


Portugal no 13º lugar dos destinos mais sustentáveis para os estrangeiros viverem

Entre 60 destinos, Portugal ocupa a 13ª posição do ranking, sendo considerado um país com boa qualidade relativamente ao meio ambiente e sustentabilidade. Finlândia está no topo da lista. 

No primeiro Relatório de Meio Ambiente e Sustentabilidado da InterNations, baseado na pesquisa anual Expat Insider 2020,divulgado hoje, Portugal obtém os seus melhores resultados na subcategoria Qualidade do Meio Ambiente (7º).

 Lisboa
- 8-14.jpg

Preço das casas ainda sobe em tempos de pandemia, mas menos – e venda de imóveis cai a pique

A Covid-19 deixou marcas em todos os setores de atividade, e o imobiliário não é exceção. Os preços das casas continuaram,

no entanto, a subir em tempos de pandemia, tendo aumentado 7,8% no segundo trimestre de 2020. Trata-se, contudo, de um crescimento homólogo 2,5% inferior ao registado nos primeiros três meses do ano (10,3%). Os dados divulgados esta terça-feira (22 de setembro de 2020) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) permitem ainda concluir que foram transacionados, entre abril e junho, 33.398 alojamentos, com um valor total de 5,1 mil milhões de euros, menos 21,6% e 15,2%, respetivamente, que no mesmo período do ano passado.


Estrangeiros compram menos, mas gastam cada vez mais para ter casa em Portugal

Comprar menos, mas gastar mais. É mais ou menos este o retrato do perfil dos estrangeiros que decidiram comprar imóveis em Portugal no ano passado. Em 2019, os não-residentes foram responsáveis por 8,5% das casas vendidas e, no que toca a valores, representaram 13,3% do montante total transacionado no imobiliário português. Feitas as contas, os estrangeiros pagaram em torno de 176,4 mil euros por imóvel (mais 3,1% face a 2018), valor que fica 56,8% acima do valor médio global do mercado. Os franceses continuam a ser quem mais compra, e os chineses quem mais gasta.


Profissionais do turismo optam pelo imobiliário

A atual falta de emprego provocada pela pandemia do coronavírus no setor do turismo está a ser vista como uma oportunidade de mudança de área, mais concretamente o imobiliário.O turismo está a ser um dos setores mais afetados pela Covid-19 e já registou quebras acima dos 80%, sendo que na hotelaria algarvia, por exemplo, se registaram perdas na ordem dos 850 milhões de euros.


Ilhas privadas e retiros isolados são os mais procurados

Possuir uma propriedade à beira-mar ou uma ilha privada sempre foi considerado o luxo supremo. Tais retiros de luxo, em locais isolados, oferecem a oportunidade do afastamento ideal de agitação do dia-a-dia. E nestes tempos particularmente turbulentos, o apreço pela absoluta privacidade é exponencial, assim como a segurança e a exclusividade de um espaço privado para desfrutar apenas com amigos e familiares.

Salão do Imobiliário Português em Paris vai ser 100% online em ano de pandemia

O InPortugal - Salão de Imobiliário e Investimento em Paris vai ter este ano uma edição inteiramente virtual, de 22 a 24 de setembro, para expandir a oferta aos quatro cantos do mundo, anunciou a organização do evento.


O histórico Salão do imobiliário e do turismo português, criado pela Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa (CCIFP), que habitualmente se realiza em Paris, celebra este ano a 9.ª edição e já se tornou numa "referência incontornável da promoção do imobiliário português em França e na Europa, particularmente na Bélgica, no Luxemburgo e na Suíça", lê-se no comunicado.



 Lisboa
- 8-14.jpg

Engel & Volkers quer liderar mercado de arrendamento de Lisboa

A Engel & Völkers criou uma divisão para o mercado de arrendamento de Lisboa. A multinacional alemã de mediação de imóveis de luxo aposta nesta estratégia de forma atingir a liderança deste nicho de mercado na capital portuguesa.

Nesta divisão focada em arrendamentos estão para já dez consultores imobiliários a trabalhar uma carteira de 100 imóveis, com uma renda média de cerca de 2000 euros por mês. O grupo é liderado por Maria Sousa que afirma querer chegar ao meio milhar de imóveis dentro dos próximos seis meses.


Investimento Imobiliário atinge os 1.7 mil milhões de euros 

O 1º Trimestre de 2020 registou um arranque muito forte, contabilizando perto de 50% do volume total de investimento verificado na totalidade dos anos 2019 e 2018, avança a Savills. No mercado português de investimento, o período em foco somou um total aproximado de 1.7 mil milhões de euros, sendo que 94% desse valor dizem respeito a transações fechadas ao longo do 1º trimestre.


Reduzir o prazo ou o valor da prestação?

O Doutor Finanças, empresa especializada em finanças pessoais e familiares, reforça que quando fazemos um contrato de crédito habitação, não temos que ficar até ao final do contrato no mesmo banco. Podemos encontrar melhores condições junto de outra entidade bancária.

Conforme explica Rui Bairrada, CEO do Doutor Finanças, “no final do 2.º ano de contrato já podemos transferir o nosso crédito e poupar milhares de euros. Esta poupança pode ser conseguida de várias formas. Primeiro que tudo, é importante que saibamos o valor da prestação mensal do nosso crédito habitação, qual a sua duração e quais as suas condições (incluindo seguro de vida e multirriscos).  Depois devemos analisar a nossa situação financeira actual e reflectir sobre o que pretendemos: ter uma folga mensal através da redução da prestação ou um crédito mais barato através da redução do prazo?”



Fazedores de cidades acreditam que imobiliário vai ter múltiplas oportunidades

Assim foram apelidados os players do imobiliário que “mexem” com as cidades na “I Conferência da Promoção Imobiliária em Portugal”. O evento debateu diferentes temáticas mas todas tiveram queixas comuns, nomeadamente os custos de contexto, os atrasos dos licenciamentos ou a mudança das regras a meio do jogo por parte do Governo. Em tempos de pandemia, estes fazedores afirmam que o investimento imobiliário, sobretudo o segmento residencial, tem grande potencial.

A “I Conferência da Promoção Imobiliária em Portugal”, que decorreu no dia 9 de Setembro em formato virtual, foi uma iniciativa da Associação Portuguesa dos Promotores e Investidores Imobiliários (APPII) em co-organização com a Vida Imobiliária e pretendeu traçar o actual panorama do imobiliário nacional e lançar ideias para o futuro.


Perda de rendimentos leva a aumento de pedidos de revisão de renda

A Câmara Municipal de Lisboa recebeu 352 pedidos de revisão de renda devido a perda de rendimento dos arrendatários e 282 pedidos de realização de acordos de liquidação de dívida, no âmbito da pandemia casada por Covid-19.

De acordo com a agência Lusa, a CML e a empresa de gestão do arrendamento da habitação municipal Gebalis têm promovido as diversas medidas de apoio existentes, nomeadamente “a possibilidade que as famílias em regime de renda apoiada têm de pedir esta revisão (da renda) a qualquer momento, verificando-se perda de rendimento ou aumento do agregado”.

 Lisboa
- 8-14.jpg

Devido à pandemia registou-se uma mudança na procura de habitações

O verão deste ano é dos mais atípicos que há memória. Com enormes limitações em viajar para fora, muitos clientes procuram oportunidades dentro de Portugal. Dessa forma, devido à pandemia da Covid-19 registou-se uma mudança na procura por habitações. Os novos potenciais compradores premium preferem propriedades de grande dimensão, isoladas, com jardins, piscina privada, acesso à praia e vista para o mar e natureza.


Quais são as casas mais caras à venda em Portugal?

Os preços da habitação têm vindo a subir há bastante tempo e, atualmente, há casas a custar vários milhões de euros. Não são acessíveis a qualquer bolso, mas continuam a ter compradores. Desde o litoral ao interior do país, há opções dois, dez e até 30 quartos. Dependendo da localização e das características, os preços vão subindo. Sabe quais são as casas mais caras do país à venda?


Esta ilha privada no coração das Caraíbas procura novo dono: custa 63 milhões

Máxima privacidade em pleno paraíso. Esta é a carta de apresentação de uma ilha das Caraíbas que está à venda por 75 milhões de dólares, cerca de 63,5 milhões de euros. Batizada de 'Long Caye' e localizada no sul do Belize, a ilha possui cerca de 16 hectares e situa-se a cerca de 19 quilómetros (12 milhas) da costa da Península de Placencia. É famosa pela sua biodiversidade e tem um ecossistema único, onde as longas praias e o estilo caribenho se misturam com a cultura milenar maia.


Passar o Verão em moradias premium

A imobiliária Engel & Völkers encontra-se a promover propriedades próximas da praia com vista a um Verão seguro e a um luxuoso descanso. Recordando que a pandemia de Covid-19 levou a um aumento na procura de habitações isoladas e com a salvaguarda de serviços próximos dos imóveis.

Em comunicado a Engel & Völkers salienta que o “Verão deste ano é dos mais atípicos de que há memória” uma vez que existem “enormes limitações em viajar para fora”. Com isso, refere, “muitos clientes procuram oportunidades dentro de Portugal” e “registou-se uma mudança na procura por habitações”.


Airbnb: Ganhos em destinos portugueses não tradicionais disparam até 250%

Os anfitriões da Airbnb em destinos portugueses menos tradicionais viram os ganhos com alojamento local disparar até 248%, que foi o caso de Viseu.

Além desta região, também os Açores (190%), Vila Real (180%), Castelo Branco (164%) e Santarém (156%) registaram subidas exponenciais nas receitas de alojamento local. Já os 10 principais destinos ganharam entre 5 a 6 vezes mais do que no ano passado. Por ordem, as cidades que mais beneficiaram foram Santa Bárbara de Nexe (Faro), Boliqueime (Faro), Pombal (Leiria), São João das Lampas (Lisboa), Gondomar (Porto), Monsanto (Castelo Branco), Póvoa de Lanhoso (Braga), Moreira (Porto), Lagoa (Faro) e Vilela (Vila Real).


Onde os estrangeiros mais gostam de comprar e arrendar casas no litoral de Portugal

O clima e a beleza da (longa) costa portuguesa - que se distingue pelos seus extensos areais e paisagem diversificada -, a par de outros motivos, continuam a atrair estrangeiros para o país, seja para comprar ou arrendar casa. Prova disso mesmo é que a procura internacional representa já cerca de um quarto (24%) do número total de visitas a propriedades localizadas no litoral português, (76% é de origem nacional). 

 Lisboa
- 9-15 agosto.jpg

Preço das casas de luxo em Lisboa disparou 98% na última década

Os preços das casas de luxo em Lisboa dispararam 98% na última década, ou seja, entre 2010 e 2020. Em causa estão dados divulgados pela consultora Savills, que prevê que os valores praticados no segmento residencial premium na capital superem, nos próximos cinco anos, os verificados em cidades como Londres (Reino Unido), Nova Iorque (EUA) e Hong Kong.

Segundo a Mansion Global, que se apoia no relatório da Savills, a subida dos preços registada no imobiliário de luxo de Lisboa foi impulsionada, em parte, pelo aumento da procura por parte de investidores internacionais, que apostaram em Portugal e foram atraídos pelo programa de Golden Visa (vistos gold), criado pelo Governo em 2012 – os vistos são atribuídos a cidadãos estrangeiros, de fora da UE, mediante a compra de casas que custem mais de 500.000 euros.


Construção: “É no investimento público e privado que reside a chave do nosso futuro coletivo”

“É indispensável assegurar às empresas” do setor da construção e do imobiliário “as condições necessárias para ultrapassar os impactos imediatos causados pela pandemia e garantir o seu posicionamento competitivo numa altura em que, mais do que nunca, é no investimento público e privado que reside a chave do nosso futuro coletivo”, considera Reis Campos, presidente da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN).

Num comunicado enviado às redações no âmbito da comemoração dos 128 anos da associação, o responsável destaca a importância da concretização do Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030 e de um quadro regulatório e fiscal “estável e competitivo”.


Crédito à habitação concentra maior número de moratórias atribuídas: foram 322.709 até junho

Desde finais de março até 30 de junho, os pedidos de adesão a moratórias de crédito abrangeram um total de 841.856 contratos. Destes pedidos, os bancos aplicaram as medidas de apoio previstas nas moratórias a 741.623 empréstimos - 70% dos quais correspondem a operações de crédito às famílias, e a maioria é relativa a financiamentos à habitação. Os dados foram divulgados esta terça-feira (11 de agosto de 2020) pelo Banco de Portugal (BdP), que agregam todas as moratórias, a pública e as privadas (dos bancos e das instituições de crédito especializado).


Custos de construção de habitação nova aumentam 1,1% em junho

Em junho, estima-se que os custos de construção de habitação nova tenham aumentado 1,1%, mais 0,4 pontos percentuais (p.p.) que o observado no mês anterior, segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os preços dos materiais aumentaram 0,6%, face ao mesmo mês de 2019, acima do aumento homólogo de 0,5% em maio, e também a subida de 1,8% do custo da mão de obra em junho foi superior à subida homóloga de 1% em maio, tal como se pode ler no documento.


Custos de construção com aumento homólogo de 1,1% em junho

Os custos da construção verificaram um aumento homólogo de 1,1% no mês de junho, tendo verificado também uma subida de 0,4 pontos percentuais (p.p) face ao mês anterior, de acordo com os dados do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova (ICCHN), divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta sexta-feira, 7 de agosto.

No mês em análise, os preços dos materiais aumentaram 0,6%, face aos 0,5% do mês anterior, enquanto o custo da mão de obra cresceu para os 1,8%, em comparação com os 1,0% de maio.

 Lisboa
- 2 agosto.jpg

Há um novo empreendimento de moradias a nascer no Campo Alegre com vista para o rio Douro

Com a construção em fase de conclusão, prevista para o próximo mês de agosto, o empreendimento residencial Panorâmico Poente, na zona do Campo Alegre, Porto, é composto por 11 moradias unifamiliares, com entradas exclusivas para cada fração a partir da via pública - a conhecida Via Panorâmica Edgar Cardoso - e do estacionamento privativo. Promovido pela sociedade Imolimit, o edifício de quatro pisos acima do solo, tem projeto do arquiteto Rogério Cavaca, sendo constituído por cinco T4, cinco T3, todos em duplex, e um T1.


Programa Da Habitação ao Habitat prolongado até maio de 2021

O programa Da Habitação ao Habitat, que prevê intervenções-piloto em quatros bairros públicos, localizados nos concelhos de Loures, Vila Nova de Gaia, Elvas e Ponte de Lima, vai ser prorrogado até maio de 2021, de acordo com a resolução aprovada esta quinta-feira (30 de julho de 2020), em Conselho de Ministros. O programa deveria ter terminado em maio deste ano, mas o Governo decidiu prolongá-lo por mais 12 meses. 


Programa de Arrendamento Acessível: Governo quer criar bolsa com 18.660 casas

O Governo quer criar uma bolsa com imóveis atualmente devolutos (ou disponíveis), de norte a sul do país, que serão transformados para arrendamento a custo acessível. Os imóveis deverão ser selecionados pelo Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU), e na lista estão incluídos palácios, antigos conventos, moradias, terrenos, quintas, apartamentos e blocos de apartamentos. O investimento chegará aos 2.300 milhões de euros.


Avaliação das casas volta a subir em junho e atinge recorde: está nos 1.115 euros por m2

Os bancos voltaram a aumentar o valor da avaliação bancária realizada no âmbito da concessão de crédito à habitação. Em junho, o valor mediano de avaliação bancária subiu um euro, para 1.115 euros por metro quadrado (m2), face ao mês anterior, ultrapassando o recorde que tinha atingido em maio, segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O número de avaliações, contudo, caiu 27,5% face ao mesmo mês do ano passado.


Preço médio das casas em Cascais e Estoril supera um milhão

Mais de um milhão de euros. Este é o preço médio das casas para venda na freguesia de Cascais e Estoril, no município de Cascais. Segundo um estudo do site especializado em imobiliário Idealista, o preço médio das casas vendidas em Cascais e Estoril ascendeu a 1.036.805 euros no segundo trimestre, o valor mais elevado em todo o país.


Câmara de Lisboa investe 14 milhões nas primeiras 128 casas de renda acessível na antiga Feira Popular

A Câmara de Lisboa (CML) vai dar início à construção das primeiras 128 casas de renda acessível em Entrecampos, nos terrenos da antiga Feira Popular de Lisboa. Nesta primeira fase o investimento é de 14 milhões de euros, mas a meta da autarquia é construir 476 habitações a preços abaixo do mercado, num investimento total de 90 milhões de euros.

 Lisboa
- 20-26julho.jpg

Que casas se procuram em Portugal em tempos de Covid-19?

A Covid-19 está a deixar marca por onde passa, nomeadamente impactando o processo de procura de casas, por via de uma mudança nas preferências, gostos e necessidades que surgiram, ou ganharam mais relevância, nos últimos meses por força das circunstâncias. A casa assumiu o papel principal durante a pandemia e, isso mesmo, colocou em evidência uma procura mais orientada para espaços maiores, interiores e exteriores - que permitam uma melhor qualidade de vida e convívio familiar e/ou teletrabalho -, a par de novas tipologias e localizações, sobretudo, nas zonas limítrofes dos centros urbanos, ou até no campo, em zonas rurais, ou de praia.


Engel & Völkers participa em venda de ilha privada na Irlanda

A ilha “Horse Island“, situada ao largo da costa da Irlanda, foi vendida por 5,5 milhões de euros, num negócio conjunto entre a Engel & Volkers e a Colliers International. A propriedade gerou um elevado nível de interesse internacional, proveniente maioritariamente da Europa, EUA e Ásia, tendo chegado mesmo a existir dois potenciais compradores a procurar adquirir a casa em simultâneo.


Chegam cada vez mais turistas não residentes a Portugal

De acordo com a informação avançada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2019, estima-se que o número de chegadas a Portugal de turistas não residentes tenha atingido 24,6 milhões, correspondendo a um crescimento de 7,9% face ao ano anterior (+7,5% em 2018).

O INE adianta também que Espanha manteve-se como o principal mercado emissor (quota de 25,5%; +0,1 p.p.), tendo registado um crescimento de 8,2% em 2019 (+8,9% em 2018). Fora da União Europeia, é de salientar o aumento de 23,2% dos turistas provenientes dos Estados Unidos da América.


Belém no topo das freguesias com imóveis mais caros

De acordo com o relatório mensal do mercado imobiliário do portal Imovirtual, Belém, Santo António, Parque das Nações, Avenidas Novas e Misericórdia são as freguesias mais caras do concelho de Lisboa.

Em comunicado, o Imovirtual refere que através do relatório divulgado é possível verificar, entre outras, quais as freguesias mais caras do concelho de Lisboa para comprar apartamento no último mês: Belém (1.067.131 euros), Santo António (887.019 euros), Parque das Nações (868.382 euros), Avenidas Novas (847.909 euros) e Misericórdia (790.895 euros).


Portugueses «piscam o olho» a casas de luxo no Algarve em plena pandemia

«Temos assistido a um crescimento no número de potenciais compradores portugueses», diz Cristina Palma Santos, da Engel & Völkers.
O Algarve é um destino de eleição para compradores de casa portugueses e estrangeiros, mas sempre foi um local muito apreciado por consumidores internacionais.
Atualmente, em contexto de pandemia de Covid-19, e também devido à limitação nas viagens aéreas, aumentou o peso dos clientes nacionais interessados em investir no sul do país.


Saiba qual é a transacção imobiliária mais cara da Geórgia

A Engel & Völkers intermediou a antiga propriedade de Tyler Perry em Atlanta, Geórgia, por 15 milhões de dólares (mais de 13 milhões de euros). A habitação era da propriedade do famoso actor, director e escritor americano até 2016, conhecido pela criação e representação da personagem Madea.

A visita à propriedade foi realizada virtualmente, através da app Face Time, devido às regras de distanciamento social para combater a pandemia do coronavírus.

 Lisboa
- 13-19julho.jpg

Venda de casas volta a subir em junho e com preços 14% mais altos do que há um ano

A venda de casas em Portugal voltou a crescer em junho, pelo segundo mês consecutivo, diminuindo para 35% a quebra sentida no imobiliário residencial face aos níveis pré-pandemia.

De acordo com os dados da Confidencial Imobiliário, as vendas cresceram 11% em junho face a maio, depois de, nesse mês, também terem recuperado em relação a abril.


Preços das casas em Lisboa aumentaram mais de 55% nos últimos três anos

O preço das casas em Lisboa aumentou 55,5% nos últimos três anos, passando de 1875 euros o metro quadrado, no primeiro trimestre de 2017, para 3333 euros no final de março de 2020. É o valor mais alto de todo o país. No mesmo período, e a nível nacional, a evolução foi de, apenas, 26,78%, para um preço médio de 1117 euros. No Porto, a habitação valorizou 66,63% e custa hoje, em média, 1873 euros por metro quadrado, quase 759 euros a mais do que no primeiro trimestre de 2017.


Comprar casa com 100% de financiamento: conhece o leasing imobiliário?

O leasing imobiliário é uma solução similar à de arrendamento através da qual um consumidor pode viver numa determinada casa, pagando uma renda, mas dispondo da opção de, ao fim de determinado período, poder adquirir definitivamente esse imóvel pagando o valor residual.

Este tipo de financiamento assenta num contrato de locação financeira por via do qual um locador disponibiliza a utilização de um dado bem (neste caso, uma habitação) a um locatário que pagará uma renda.


Mercado imobiliário se surpreende com resultados positivos na pandemia, e vendas já acontecem de forma 100% digital

Apesar das expectativas de queda no desempenho do mercado imobiliário este ano, em razão da pandemia do coronavírus, o setor tem apresentado resultados positivos durante os meses de isolamento social. A taxa básica de juros no patamar mais baixo da história (2,25% ao ano), somada a uma nova demanda por imóveis mais espaçosos criada pelo confinamento ajudaram a impulsionar as vendas, que já ocorrem de forma 100% digital. O mercado está otimista, mas há o receio de que a situação desande, se o desemprego continuar crescendo, e a economia não apresentar sinais de melhora nos próximos meses. Com isso, a tendência é que os preços permaneçam estáveis.


IMI: novos coeficientes de localização deveriam refletir efeitos da Covid-19, diz Deco

O Governo deverá ter em conta os efeitos da pandemia da Covid-19 no mercado imobiliário, nomeadamente na avaliação das propostas de atualização dos coeficientes de localização, que servem de referência na determinação do Valor Patrimonial Tributário (VPT) dos imóveis e podem, por isso, influenciar o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) a pagar pelos proprietários. O alerta é dado pela Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor – Deco

 Lisboa
- 6-8 julho.png

Engel & Völkers continua a recrutar e a crescer

A Engel & Völkers continuou a recrutar consultores imobiliários premium em Portugal, nos meses de Março, Abril e Maio, e prevê continuar a crescer em todo o País até ao final do ano.

Durante este período atípico – onde a população viveu em quarentena e distanciamento social – a multinacional alemã especializada na mediação de imóveis residenciais e comerciais de luxo, avançou com um conjunto de iniciativas de recrutamento com recurso a plataformas virtuais, que registaram uma elevada participação.


Sociedade francesa à procura de imóveis comerciais em Portugal para investir

A Corum, sociedade francesa que tem vindo a realizar vários investimentos em Portugal, mantém-se ativa no mercado nacional. Desde 2014, já investiu 60 milhões de euros na compra de imóveis no território luso e agora está à procura de novas oportunidades no imobiliário comercial, com o objetivo de aumentar o portfólio dos seus fundos de investimento imobiliário. Atualmente, a sociedade gere, no total, mais de quatro mil milhões de euros em soluções de poupança.


Quanto custa comprar casa em Portugal? Rx aos preços em todo o país

Comprar casa em Portugal continua a ser cada vez mais caro. No primeiro trimestre de 2020, o preço médio de alojamentos familiares foi 1.117 euros por metro quadrado (€/m2), mais 3,3% que no trimestre anterior e mais 10,5% que no mesmo período do ano passado, revelou esta quinta-feira (9 de julho de 2020) o Instituto Nacional de Estatística (INE), frisando que os números não traduzem ainda o impacto da pandemia da Covid-19 no mercado habitacional, pelo que podem “distanciar-se das condições e tendências mais atuais do mercado”.


Mansão de Tyler Perry vendida por preço milionário… através do FaceTime

Uma propriedade que pertenceu a Tyler Perry, em Atlanta, Geórgia, foi vendida por 15 milhões de dólares (mais de 13 milhões de euros).

O famoso ator, diretor e escritor americano é conhecido pela criação e representação da personagem “Madea”. A visita à propriedade – intermediada pela Engel & Völkers – foi realizada virtualmente, através da app FaceTime, devido às regras de distanciamento social para combater a pandemia do coronavírus.


Quem são os novos compradores de imobiliário de luxo no Algarve?

O Algarve é um destino de eleição para muitos portugueses e clientes internacionais que procuram investir no mercado residencial de luxo. O contexto de pandemia de Covid-19, e a consequente limitação nas viagens aéreas, tem levado a um aumento do peso dos clientes portugueses, que procuram sobretudo propriedades amplas e com ligação à natureza.

“Os dados anteriores à pandemia mostram que os compradores não residentes representavam quase 40% do valor total dos imóveis vendidos no Algarve, de acordo com dados de 2018 sobre a aquisição de imóveis por não residentes  do INE. No entanto, nos últimos meses temos assistido a um crescimento no número de potenciais compradores portugueses, seja para residência permanente, segunda habitação ou para rentabilização de investimentos através do arrendamento turístico”, afirma Cristina Palma Santos, managing partner da Engel & Völkers em Albufeira.


Comprar ou arrendar? Veja como andam os preços das casas

A casa continua a ser a maior preocupação dos portugueses. Pagá-la já custa muito, seja ao banco ou ao senhorio. No segundo caso, a instabilidade é acrescida por causa dos prazos dos contratos e em tempo de pandemia cria outras dúvidas.

Os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística referem que o valor médio da avaliação bancária, realizada no âmbito de pedidos de empréstimo para compra de casa, se fixou, em maio, nos 1.114 euros por metro quadrado, mais três euros do que o preço registado no mês de abril. Trata-se do montante mais elevado desde janeiro de 2011, segundo referiu o instituto no final de junho.

 Lisboa
- 29 junho-5julho.png

A pandemia como factor impulsionador dos resorts e condomínios privados de luxo

Ainda que a atual pandemia tenha criado inicialmente algumas incertezas, a verdade é que, ao contrário da recessão em 2008, a procura imobiliária ainda se mantém. O setor imobiliário tem vindo a crescer exponencialmente desde há alguns anos e, mesmo no pico da pandemia em Portugal, o preço de venda das casas em Portugal continental registou uma subida ligeira: de 0,5%, em abril relativamente a março, em que a variação mensal ficou nos 0,4%, segundo o Índice de Preços Residenciais da Confidencial Imobiliário. Valores que refletem uma tendência de estabilidade, em particular no mercado residencial nacional.


Mediadoras estão a contratar: imobiliário gera oportunidades de emprego em plena crise

O setor imobiliário e da construção tem-se mostrado resistente à pandemia da Covid-19, voltando a destacar-se, nesta crise, como importante motor da economia nacional - na primeira quinzena de junho, estava já quase totalmente operacional, com 97% das empresas ativas. As obras nunca pararam no país e a mediação imobiliária foi, de resto, uma das primeiras atividades com luz verde do Governo para abrir portas no arranque do desconfinamento. Segundo o Banco de Portugal, o imobiliário e construção estão mesmo a impedir uma recessão maior a nível nacional, mas para dar a volta à crise e responder aos desafios do futuro, as empresas do setor perceberam que precisam de mais talento, estando, por isso, à procura de profissionais para reforçar as suas equipas. 


Preço das casas sobe 0,5% em Portugal no segundo trimestre de 2020 – em plena pandemia da Covid-19

Os preços das casas em Portugal subiram 0,5% no segundo trimestre de 2020 face ao trimestre anterior, fixando-se em 2.070 euros por metro quadrado (m2). Em termos anuais, ou seja, face aos primeiros três meses do ano passado, o aumento foi de 7,1%. Nas duas principais cidades do país, em pleno surto da Covid-19, os preços registaram quebras, nomeadamente de 1,2% em Lisboa e 0,6% no Porto, mas Coimbra destacou-se em sentido contrário: foi a cidade onde os valores mais subiram durante a pandemia (3,9%). Em causa estão os dados do índice de preços do idealista.


Investimento imobiliário: primeiro trimestre foi o melhor de sempre

Quem acompanha a dinâmica do investimento imobiliário em Portugal já se habituou a ouvir no final de cada ano que aquele foi o melhor de sempre desde que há registos de dados dos negócios de milhões concretizados no imobiliário comercial (edifícios de escritórios, hotelaria, retalho e logística). Foi assim em 2017, 2018 e 2019, com a capacidade de atração de Portugal sempre a subir junto dos investidores estrangeiros.


Salão de imobiliário português em Paris passa para versão digital em 2020

O salão InPortugal, maior feira de imobiliário e turismo de Portugal em França, vai decorrer virtualmente em 2020, devido à "incerteza" que envolve a indústria de eventos em tempos de pandemia. “A decisão surgiu naturalmente com a incerteza que envolve a indústria dos eventos e as plataformas virtuais têm desenvolvido várias opções que vêm acelerar a adoção por parte dos visitantes deste tipo de relações desmaterializadas", afirmou o diretor do InPortugal, Ricardo Simões, em declarações à agência Lusa.

Este salão deveria ter acontecido em maio, mas devido à covid-19 foi adiado para setembro, inicialmente ainda numa versão presencial.



O que mudou no imobiliário de luxo? Preços mantêm-se, casas grandes são prioridade e portugueses estão de volta

A pandemia alterou as exigências de quem compra propriedades de luxo. A procura intensificou-se para moradias com espaços verdes, Penthouses ou apartamentos com bons terraços e de preferência fora das grandes cidades.

O mercado imobiliário de luxo português também se transformou com a crise do Covid-19, apesar dos preços não terem ainda sofrido quedas significativas, a procura voltou-se para imóveis onde o espaço interior e exterior é o factor determinante na escolha e ainda, a uma subida acentuada de compra por parte de portugueses.

 Lisboa
- 22-28.jpg

Covid-19: “Acredito que o setor imobiliário será um dos primeiros a recuperar”
Os preços das casas à venda subiram 10,3% em Portugal no primeiro trimestre de 2020 face ao mesmo período do ano passado, tendo sido vendidos 43.532 imóveis, menos 11,6% que no trimestre anterior e menos 0,7% face ao período homólogo. Luís Lima, presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), mantém-se, no entanto, otimista quanto à recuperação do setor, que não está imune, como todos os outros, “às consequências” da crise da pandemia da Covid-19. 



Preços das casas subiram mais de 10% até março, o mês marcado pela chegada da pandemia

Os preços das casas à venda subiram 10,3% em Portugal no primeiro trimestre de 2020 face ao mesmo período do ano passado. Uma boa notícia, portanto, para as imobiliárias, sendo que os números já contemplam o mês de março, marcado pela chegada da pandemia da Covid-19 a Portugal. E mais: nos primeiros três meses do ano, foram vendidos 43.532 imóveis, (apenas) -0,7% que nos mesmos três meses de 2019. Em causa estão dados divulgados esta terça-feira (23 de junho de 2020) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).


Preços da habitação sobem 10,3% até março

O Índice de Preços da Habitação, agora divulgado pelo INE, revela que os preços aumentaram a um ritmo superior ao das habitações novas, com subidas homólogas de 10,6% e 8,9%, respetivamente.
Já face ao trimestre anterior, o índice registou um aumento de 4,9%. A subida dos preços foi mais expressiva no caso das habitações novas, com uma variação de 6%, que compara com a de 4,7% dos fogos usados.
Neste primeiro trimestre foram transacionadas 43.532 habitações, num valor de 6.800 milhões de euros. Estes resultados representam uma descida de 0,7% no número de transações, e uma subida de 10,4% no valor, o que reflete a trajetória ascendente dos preços.


97% das empresas do setor mantiveram-se ativas em junho

Na primeira quinzena de junho, 97% das empresas do setor da construção e imobiliário mantiveram-se em funcionamento, percentagem semelhante à registada na quinzena anterior.

Os números são do Inquérito Rápido e Excecional às Empresas – Covid-19, agora divulgado pelo INE e pelo BdP. Apenas 2% das empresas deste setor estiveram encerradas temporariamente, e 1% em definitivo.


Panorama imobiliário aparentou ser bem mais optimista do que seria de esperar

Em Maio, em pleno estado de pandemia e contra todas as indicações e expectativas, o mercado imobiliário português apresentou resultados que aparentam ser bem mais optimistas do que seria de esperar há algumas semanas atrás.

De acordo com os dados recentes relativos ao estado do mercado imobiliário português divulgados pelo portal de referência Imovirtual no início deste mês de Junho de 2020, os números não são tão ‘negros’ face ao estado do país e do mundo - que estão sob uma tremenda pressão devido ao cenário de pandemia e forte contracção económica -, bem como a alguns dos piores cenários que foram traçados para o mercado imobiliário e outros setores de atividade.


Interesse dos estrangeiros por Portugal vai continuar, sobretudo dos britânicos

Portugal é uma zona consolidada em termos de investimento imobiliário dadas as suas características de ser um país atractivo para visitar e viver: é um país seguro, com fácil acesso a praias e campo, enquanto apresenta cidades cosmopolitas que oferecem uma longa variedade de atividades culturais e de lazer. O mercado é dinâmico, tem diversos players especializados e até agora podemos observar uma crescimento de clientes exigentes no nosso país.

 Lisboa
- 15-21.jpg

Imobiliário português a despertar interesse dos investidores: 7 mil milhões de euros para comprar

Os investidores continuam atentos a Portugal e revelam ter disponíveis cerca de sete mil milhões de euros para comprar imobiliário comercial no país. As conclusões mostram que o o desejo pela aquisição de escritórios e residências de estudantes continua em alta, ainda que as classes que registam um maior aumento da procura sejam a logística, residencial de rendimento e o setor da saúde. Os dados divulgados indicam, que os investidores têm perto de três mil milhões de euros em ativos para vender num "futuro próximo”.


Investidores estrangeiros mantêm confiança no mercado português e vão investir fora de Lisboa e Porto

Apesar da pandemia do Covid-19, os investidores imobiliários estrangeiros que estão em Portugal vão continuar a expandir os seus negócios, sobretudo para fora de Lisboa e Porto. Apesar do grande aumento de preços observado nos últimos anos, ainda existem muitas oportunidades no mercado português.


Venda de casas recupera 23% com desconfinamento

No primeiro mês de desconfinamento, Maio, a venda de casas em Portugal aumentou 23% face ao mês anterior. Tal reanimação fez com que o mês de maio reduza para 41% o declive face aos níveis de actividade registados no pré-Covid (Janeiro), numa clara recuperação face à queda de 53% que se observou em Abril. Os dados reflectem os primeiros resultados do Índice de Volume de Vendas de Habitação, uma nova métrica lançada pela Confidencial Imobiliário para acompanhar o comportamento das vendas de habitação em Portugal.


Como o Covid-19 está a mudar o mercado imobiliário residencial global

A pandemia do Covid-19 veio mudar o mundo e o mercado residencial. Num estudo que se verifica uma quebra das vendas e que os compradores esperam uma descida nos preços para investir. Os resultados mostram que 90% dos entrevistados afirmaram que 30% ou menos dos seus compradores deixaram de procurar. Apenas 6% dos vendedores estão a considerar ou já retiraram as suas propriedades do mercado. 30% dos mercados relatam alterações legais para facilitar os negócios. E é provável que os compradores dêem prioridade ao home office, Wi-Fi e espaços verdes em propriedades futuras.


Crédito à habitação: Taxa de juro desceu assim como a prestação mas capital em dívida subiu

Em Maio, a taxa de juro para os créditos à habitação desceu para 0,903%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 54 010 euros e 227 euros, respectivamente, avança hoje o INE.
O Instituto Nacional de Estatística indica ainda que a taxa de juro de 0,903%, apresenta um valor inferior em 4,4 pontos base ao registado no mês anterior. Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro foi 0,845% (0,891% no período precedente). Recorde-se que as taxas de juro implícitas são obtidas por quociente entre juros pagos e capital em dívida.


Imobiliário e construção impedem crise maior em Portugal

A economia portuguesa está a sentir os efeitos do contágio da Covid-19, antecipando-se para este ano a crise mais violenta em quase 100 anos de história, sobretudo devido à quebra de 60% no turismo. O Banco de Portugal (BdP) projeta uma recessão de 9,5% em 2020, estimando que o país demore, pelo menos, dois anos e meio, até se recuperar totalmente. Mas o estado de saúde da economia nacional poderia ser, atualmente, bem mais grave. A ajudar a resistir estão os setores do imobiliário, construção e investimento público, que têm dado sinais de serem as áreas que melhor têm estado a sobreviver ao impacto da pandemia.

 Lisboa
- 8-14.jpg

Vistos gold disparam na pandemia: investidos 146 milhões em maio, o melhor mês desde março de 2017
O investimento captado através de Autorizações de Residência para Atividades de Investimento (ARI), como são conhecidos os vistos gold, quase triplicou (192%) em maio, face ao mês homólogo de 2019, para 146 milhões de euros. Um grande aumento, nomeadamente em tempos de Covid-19, já que em abril tinha recuado 46% face ao mesmo mês do ano passado, para 28 milhões de euros.

Segundo contas feitas pela Lusa com base nas estatísticas do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), em maio, o investimento total resultante da concessão de vistos gold atingiu 146.168.473,40 euros, mais 192% que os 50 milhões de euros registados em maio de 2019.


Covid-19. Rendas caíram quase 20% desde março
Por comparação com os valores praticados há um ano, o preço médio das rendas em Portugal caiu quase 20%. A culpa é da pandemia e dos imóveis que estavam a funcionar como alojamento local, mas que, agora, devido à ausência de turistas, voltaram a entrar no mercado, conta o “Jornal de Notícias” esta segunda-feira.



Estado destina verbas para comprar imóveis de turismo - proprietários podem ficar como inquilinos
A braços com uma crise inesperada, gerada pela pandemia da Covid-19, as pequenas e médias empresas do turismo e da indústria têm agora um novo mecanismo do Estado que lhes poderá vir a dar um novo alento. Em causa está a possibilidade de venderem os seus ativos imobiliários a um fundo de investimento do Estado e manterem-se como inquilinas das suas atuais propriedades, no âmbito de um concurso que vai ser lançado no próximo dia 16 de junho. Parte do valor que as empresas receberem pelos imóveis poderá ser usada em “fundo de maneio, para resolver alguns problemas de tesouraria”.


Imobiliário português a despertar interesse dos investidores: 7 mil milhões de euros para comprar
Os investidores continuam de olhos postos em Portugal e revelam ter disponíveis cerca de sete mil milhões de euros para comprar imobiliário comercial no país, segundo um inquérito realizado pela consultora imobiliária Cushman & Wakefield  (C&W). As conclusões mostram que o “apetite” pela aquisição de escritórios e residências de estudantes continua em alta, ainda que as classes que registam um maior aumento da procura sejam a logística, residencial de rendimento e o setor da saúde.

Os dados divulgados indicam, também, que os investidores têm perto de três mil milhões de euros em ativos para vender num "futuro próximo”.


Converter alojamento local em arrendamento acessível vai custar 17,4 milhões de euros ao Estado
Para tentar dar uma resposta concertada à crise habitacional e apoiar os proprietários de alojamento local que estejam em dificuldades devido à pandemia da Covid-19, o Governo tem um pacote de 17,4 milhões de euros que visam fomentar a conversão de imóveis que estavam no mercado turístico de curta duração em casas para famílias, com rendas acessíveis. No total, é estimado um investimento anual de 4,5 milhões de euros nas comparticipações do programa de conversão do alojamento local em arrendamento acessível, no âmbito da atual “crise habitacional”, a que acrescem 12,9 milhões de benefícios fiscais. 

 

Viver em Lisboa: capital portuguesa deixar de ser uma das 100 mais caras do mundo
O custo de vida em Lisboa diminuiu em 2020. A capital portuguesa desceu 11 posições no ranking “Cost of Living 2020”, da consultora Mercer, sendo agora a 106ª cidade mais cara do mundo para se viver, num total de 209 metrópoles. No top 10 da lista encontram-se seis cidades asiáticas, sendo que Hong Kong volta a liderar a tabela. Já Tunes, na Tunísia, ocupa a última posição do ranking. 


Casafari: Vendas de casas caíram mas preços mantiveram-se estáveis até maio
Embora a redução nos imóveis em oferta para venda, de fevereiro até maio, tenha sido em torno de 60%, os preços médios mantiveram-se estáveis, diz a plataforma Casafari.

Desde fevereiro, mês em que se verificou o pico, até maio os apartamentos retirados e vendidos na Internet recuaram 60% em Lisboa e Faro e 62% no Porto. Também os novos imóveis disponíveis viram uma quebra no mesmo período, de 9% em Lisboa, 5% no Porto e 3% em Faro.

 Lisboa
- imobiliário 1-7.jpg

Investidores imobiliários apresentam programa para relançar economia

A Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários (APPII) avança com o programa Relançar, que visa atrair investimento para o setor, pedindo ainda, entre outras medidas, a redução do IVA na construção nova.

“Nesta primeira fase, o programa Relançar quer sensibilizar governantes, empresários e a opinião pública para a necessidade de implementação de medidas imediatas que devolvam ao setor do investimento imobiliário a necessária confiança, atratividade e segurança”, explicou, em comunicado, a associação.


Vender, comprar ou arrendar casa com a ajuda de mediadores vale a pena? Sim

Quando chega a hora de procurar casa para comprar ou arrendar, ou se quer vender um imóvel, a primeira tentação é tratar de tudo sozinho, sem a ajuda de um profissional. Será a melhor solução, sobretudo, no atual contexto de pandemia por causa da Covid-19? 

O imobiliário foi um dos setores mais afetados pela crise, mas, com a terceira fase do plano de desconfinamento do Governo em vigor, os negócios estão de novo “na rua” e o setor imobiliário e da construção está outra vez quase totalmente operacional, com 97% das empresas destas atividades a funcionar, segundo dados do Banco de Portugal e do Instituto Nacional de Estatística (INE).


Procura por vistos gold em Portugal dispara com Lei que Pequim quer impor a Hong Kong

Há uma lei que Pequim quer impor a Hong Kong que está a fazer disparar a procura por vistos gold em Portugal, nomeadamente através do investimento em imobiliário, ou seja, a compra de casas que custem pelo menos 500.000 euros. A garantia é dada por uma empresa especializada na obtenção deste tipo de vistos em Portugal, que revela que os pedidos de informação de residentes de Hong Kong disparou após o anúncio da referida lei.


Ir viver para o interior é mais atrativo no pós-Covid-19: guia dos novos benefícios fiscais em vigor

A pandemia tem estado a despertar um novo interesse pelas zonas menos densificadas. O Governo quer atrair mais cidadãos para o interior do país e criou um programa de apoio. Já disponibilizou um guia que sistematiza todos os benefícios em vigor para estes territórios, desde os apoios fiscais para as famílias, às empresas e ao investimento, mas também à silvicultura.


Engel & Völkers Porto: “Ajuste de preços permite realização de alguns negócios”

Presente em Portugal desde 2006, a Engel & Völkers dispõe de uma rede de agências imobiliárias direcionada para o mercado de luxo e encontra-se espalhada por várias regiões do país. Antes da pandemia irromper pelo mundo, a promotora alemã juntou às duas agências no concelho do Porto, uma delegação no concelho de Vila Nova de Gaia, a 4 de março.

De resto, o eixo Porto-Matosinhos-Gaia representa cerca de 15% das transações de luxo da promotora, num valor total de 800 milhões de euros, dos quais 600 milhões dizem somente respeito à cidade Invicta.


 Lisboa
- Imobiliário.jpg
As zonas de Lisboa e Porto mais atrativas para se colocarem as casas a arrendar

Segundo o estudo, na capital, as casas são arrendadas em média em menos de 3 meses e têm rentabilidades acima de 3% na vasta maioria do território. A zona central da cidade, que abrange as freguesias da Estrela, Campo de Ourique, Campolide, Avenidas Novas, Alvalade, Areeiro e Arroios, é a mais apelativa para os proprietários que colocarem as suas casas no mercado de arrendamento. 


Edifício Francisco Metrass é novo mas vai receber apenas arrendamento em Campo de Ourique

    Um novo edifício residencial nasceu em Campo de Ourique exclusivamente vocacionado para arrendamento. O edifício Francisco Metrass é de construção nova e tem cinco espaçosos apartamentos T3 para arrendar. Com desenho do Arquitecto Falcão de Campos, todos os apartamentos, modernos e luminosos, têm áreas de 133 m² e dispõem de estacionamento privativo.

Os preços das propriedades comerciais aumentaram 1,9% em 2019, uma subida 3% inferior à verificada em 2018, revelou esta quarta-feira (27 de maio de 2020) o Instituto Nacional de Estatística (INE), salientando que fica interrompido “um período de dois anos consecutivos de aceleração dos preços”.


Ingleses querem aprender com Lisboa onde os preços das casas ainda podem subir este ano

O reconhecido jornal britânico, The Telegraph, escreve num artigo que o Reino Unido quer saber o segredo de Lisboa, um dos poucos mercados principais do mundo em que os preços das casas ainda podem subir em 2020.

Com base no relatório da Knight Frank, onde refere que Paris, Madrid, Londres, Genebra e Berlim têm um ano difícil pela frente, ao contrário de Lisboa onde se espera que os preços subam este ano e ainda mais em 2021, o jornal questiona: Porque é que o mesmo não pode acontecer em Londres?


Avaliação bancária subiu para 1 111 euros por metro quadrado

O valor médio de avaliação bancária na habitação foi 1 111 euros em Abril, mais 1 euro que o observado no mês precedente, representando uma subida de 0,1% e um aumento de 9,5% face ao mesmo mês do ano anterior.

De acordo com o INE - Instituto Nacional de Estatística, o número de avaliações bancárias reportado ascendeu a cerca de 22 mil, ligeiramente inferior (-2%) ao reportado no mesmo mês do ano anterior.


Habitação própria permanente no contexto COVID-19

A conjuntura de redução drástica da atividade económica causada pela Pandemia teve um impacto direto (negativo) na liquidez da generalidade dos agregados familiares.

Naturalmente que o peso da “prestação da casa” no orçamento familiar é substancial, sendo esta uma despesa a qual se torna impossível de reduzir ou eliminar – tanto no contexto do arrendamento habitacional, como no do crédito para habitação.


Crise leva proprietários a baixar rendas. Já há descontos de 10% a quase 20%

A crise está a afetar o imobiliário e o setor já antecipa descidas dos preços das casas nos próximos meses. Estas são boas notícias para quem quer comprar casa, mas também para quem quer arrendar. E esses “descontos” já estão à vista. Nas várias imobiliárias e plataformas, as rendas pedidas já são mais baixas, com as descidas a superarem os 10%. Isto porque o rendimento disponível das famílias vai ficar mais reduzido e os proprietários reconhecem que baixar as rendas é das poucas alternativas que têm para conseguir dar a volta a esta crise.


Casas de luxo: AIMI já é pago por mais de 500 mil proprietários

Em 2019, mais de 517 mil imóveis (incluindo de habitação e de terrenos para construção) passaram a pagar o Adicional do Imposto Municipal sobre Imóveis (AIMI), que é liquidado em setembro. Trata-se de um aumento de 6,3% face ao ano anterior, correspondendo a mais 30.698 imóveis que entraram no radar do Fisco. 

No que diz respeito à receita conseguida com a cobrança do AIMI, atingiu no no ano passado 151,56 milhões de euros, mais 8,5% que em 2018. Segundo o Dinheiro Vivo, que se apoia em estatísticas da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), a receita deste imposto engordou quase 12 milhões de euros num ano. 

Contacte-nos já
Engel & Völkers
MMC Lisboa
  • Avenida da Liberdade 196, 7º Andar 1250-147
    1250-147 Lisboa
    Portugal

Conhecemos o valor de mercado do seu imóvel

Sabe qual é o valor atual do seu imóvel? Quer se queira apenas informar, antes de mais, sobre o seu valor de mercado atual ou deseje vender o seu imóvel nas melhores condições possíveis: os nossos especialistas de comercialização experientes estão ao seu dispor, de bom grado, para uma avaliação gratuita e sem compromissos do valor.

Siga-nos nas redes sociais